Morre o quarto animal atacado no zoológico de Rio Preto (SP)


Faisão prata estava com dois ferimentos no tórax e não resistiu | Foto: Divulgação

Morreu na noite desta segunda-feira (16), o faisão prata que foi atacado por um homem com estilingue no Bosque de Rio Preto (SP) na última quinta-feira (12). Ele estava internado no Hospital Veterinário da Unirp. O animal estava com dois ferimentos no tórax. Em um deles, o chumbinho permanecia alojado.

A morte foi confirmada pela Prefeitura por meio da Secretaria do Meio Ambiente. Seguem em tratamento o urubu-rei e o urumutum, que assim como o faisão receberam os primeiros cuidados no Bosque e foram transferidos para o hospital. O urubu-rei tem fratura exposta na tíbia e ferimentos nas asas e o urumutum tem uma fratura no fêmur. Ambos ainda devem passar por cirurgia.

Com o faisão, são quatro animais que morreram no ataque que aconteceu por volta das 12h de quinta-feira. Naquele dia, morreram duas jacupembas e um aracuã – este chegou a ser encontrado com vida, mas não resistiu aos ferimentos.

Segundo o veterinário Ciro Cruvinel, do Bosque, a cirurgia do animal foi delicada e ele já estava com uma infecção causada pelos ferimentos e não resistiu. Ele era morador do zoológico desde março de 2004, quando veio transferido do zoológico de Pomerode, em Santa Catarina.

De acordo com informações enviadas ao Diário pela assessoria da Secretaria Municipal de Saúde, o urubu-rei passou por cirurgia no final da tarde desta terça e o estado de saúde dele é grave. O urumutum deve ser operado nesta quarta-feira (18) pela manhã, o estado de saúde dele é estável.

Desde a última quinta-feira a segurança no local está sendo feita pela Guarda Municipal com rondas periódicas no interior do Bosque.

O atacante dos animais não foi identificado. De acordo com um dos funcionários do Bosque o suspeito é um homem que aparenta ter de 50 a 55 anos, branco, alto (cerca de 1,80 m) e de cabelos grisalhos. O caso está sendo investigado pela Delegacia de Investigações Gerais.

Fonte: Diário da Região

Nota da Redação: Como se o aprisionamento não bastasse, estes animais foram vítimas do ataque cruel de um visitante autorizado a entrar no zoológico, que não preza por qualquer segurança. Eles são apenas um exemplo da tortura e dos riscos que os animais,  mantidos em cativeiro em nome do lucro e do entretenimento, são submetidos todos os dias.  Tal ataque mostra claramente que os animais não passam de objetos para zoológicos e instalações semelhantes.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA

RECOMEÇO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>