Estudo revela habilidades cognitivas de cavalos na comunicação com seres humanos


Por Filype Ruiz/ Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Getty Images

Hoje em dia cães são famosos por toda parte por sua inteligência e a popularidade da ciência do conhecimento sobre eles é crescente.

Cientistas cognitivos agora se questionam sobre a companhia de outro animal domesticado que tem sido relativamente negligenciado: os cavalos.

Os cientistas japoneses Monamie Ringhofer e Shinya Yamamoto da Universidade de Kobe publicaram no jornal online Animal Cognition (Cognição Animal) os resultados da primeira pesquisa que investiga como os cavalos reagem às situações de conhecimento e desconhecimento de seus companheiros humanos. Os resultados são impressionantes.

Ringhofer e Yamamoto observaram oito cavalos puro sangue em um estábulo no clube equestre da Universidade de Kobe.

Os cientistas reconhecem que são necessários estudos subsequentes, mas puderem verificar não só uma cognição avançada, como também uma cognição flexível mostrada pelos cavalos em situações de conhecimento.

“Esse estudo é o primeiro a mostrar que cavalos possuem princípios básicos cognitivos na capacidade de compreender situações de conhecimento em comunicação social com humanos”, escreveram Ringhofer e Yamamoto.

Alguns primatas não humanos possuem essa capacidade, mas é claro que cavalos tem uma relação evolutiva conosco muito mais distantes do que os chimpanzés. E os cães: como reagem?

Ringhofer e Yamomoto escreveram que, em uma situação similar, os cães não manifestaram contatos visuais ou táteis com os cuidadores.

Os cães também direcionaram a atenção dos humanos, mas de uma forma diferente. Uma explicação provável seria por conta do histórico evolutivo de pastorear, caçar, servir e resgatar animais. Cada espécie ajustou à sua forma uma capacidade principal de comunicação eficaz com os humanos.

A jornalista científico e equestre Wendy Williams, autora de “The Horse: The Epic History of Our Noble Companion”, escreveu em um email: “Há muito tempo, tenho esperado esse importante estudo. Por todo esse tempo de domesticação de cavalos, presumíamos uma comunicação unilateral entre humanos e cavalos. Mas nesse estudo, vemos que a comunicação vem dos dois lados. Cavalos realmente tentam se comunicar com os humanos. Apenas não tentamos aprender a linguagem deles.”

Williams aponta que sinais sociais são importantes entre cavalos: “Cavalos são animais muito sociais. Em uma condição natural, dependem uns dos outros para obter informação que ajude na sobrevivência do bando. Por exemplo, se um predador aparece no horizonte, um cavalo alerta imediatamente os outros por meio de vários tipos de sinais. Relinchar, levantar as orelhas e coices são apenas alguns desses sinais. Não teria motivos para eles não tentarem se comunicar com os humanos também.”

Ringhofer, principal pesquisadora, disse as personalidades e tendências comportamentais dos animais variam.

“A maioria dos cavalos apresentou manifestações visuais e táteis para chamar a atenção dos cuidadores. No entanto, dois cavalos manifestaram um comportamento a mais. Ficaram próximos do cuidador e mantiveram a face em frente (bem próxima) ao rosto dele. Então, ambos bateram suas faces no rosto do cuidador.” contou Ringhofer.

A cientista não conseguiu definir se a ação dos cavalos foi acidental ou proposital, por isso não incluiu em suas análises. Mas se pergunta se é possível que aqueles dois cavalos tenham manifestado uma forma surpreendente de sinal social.

A comparação direta a respeito da inteligência entre espécies não funciona bem porque não há um único padrão do que significa ser “inteligente” entre diferentes animais. Questionar se cavalos e cães são igualmente inteligentes realmente não faz muito sentido.

Outro estudo recente que mostra que cavalos conseguem usar símbolos para se comunicar com humanos e revela que eles possuem uma boa percepção do que acontece ao seu redor, segundo a NPR.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOB INVESTIGAÇÃO

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>