CONTEÚDO ANDA

Ursos enclausurados em zoo exibem sinais de desespero e depressão profunda

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: LAV Nazionale
Foto: LAV Nazionale

Em uma fotografia tirada em um zoológico italiano, um urso pardo inclina seu corpo contra a parede de concreto de seu recinto. Ele parece desesperado, deprimido, desanimado. Ele olha para cima, parecendo procurar uma saída.

Este urso não é o único: dois outros ursos no recinto parecem igualmente deprimidos.”É muito triste. Pensar que são forçados a viver todas as suas vidas nestas condições é terrível”, disse Gaia Angelini, ativista do LAV Nazionale, um grupo de bem-estar animal na Itália.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Por razões legais, Angelini não pode revelar o nome do zoológico onde os três ursos estão ou a sua localização exata, mas ela confirmou que as condições são tão precárias como parecem na foto.

Foto: LAV Nazionale
Foto: LAV Nazionale

“O piso é feito de concreto coberto com uma fina camada de terra. Nenhum esforço real é feito para tentar reproduzir habitats naturais”, disse Angelini, observando que os únicos aspectos positivos para os ursos são alguns troncos de árvores e uma pequena piscina.

Embora os ursos possuam uma área interna e outra ao ar livre, ela estima que o espaço total dos três animais tem em torno de 820 pés. Na natureza, ursos pardos podem percorrer uma distância muito maior para procurar alimento.

Os ursos não são os únicos animais que vivem nesse estado precário no zoológico, apontou Angelini. Grandes felinos, elefantes, primatas, pássaros e rinocerontes também vivem em recintos com pouco ou nenhum enriquecimento ambiental.

Foto: LAV Nazionale
Foto: LAV Nazionale

Além disso, alguns animais são forçados a executar performances para os visitantes, mesmo que isso seja considerado ilegal pela legislação italiana, de acordo com a Born Free Foundation.

“O zoológico chama de ‘sessões educacionais’, mas os exercícios realizados são claramente destinados apenas para entreter o público”, explicou Angelini. O público também pode alimentar os animais e, em algumas circunstâncias, recebe autorização para tocá-los, de acordo com a ativista.

Foto: LAV Nazionale
Foto: LAV Nazionale

Isso não acontece apenas em um zoo,  ela esclareceu que vários zoos italianos mantêm animais em condições semelhantes. Quando os animais não estão sendo usados em “sessões educacionais”, eles ficam sozinhos dentro de seus recintos.

“Eles basicamente não têm muito que fazer e andam para frente e para trás, mostram comportamentos estereotipados, como ir para o mesmo canto para tocar a parede, em seguida, andar em círculos”, disse Angelini.

Os ursos também bateram paredes para tentar obter a atenção dos seus detentores, de segundo Angelini. O que eles provavelmente estão fazendo é pedindo comida, ela disse.

Devido à criação em cativeiro, esses animais não podem mais voltar à natureza, mas os ativistas têm lutado para aprovar uma lei que proíbe o uso de animais em performances e pela indústria do entretenimento, informou o The Dodo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui