CONTEÚDO ANDA

Engenheiro muda de vida para cuidar de mais de 700 cães abandonados e doentes

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Asif
Foto: Asif Saud

Rakesh Shukla é um engenheiro de software que transformou o cuidado de cães que ninguém quer em sua missão de vida, escreve Geeta Pandey da BBC em Bangalore.

Assim que ele chega em frente a uma fazenda empoeirada perto da capital do estado indiano do sul de Karnataka, os animais latem e pulam de alegria.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Em poucos segundos, eles estão em cima de Rakesh Shukla, acariciando-o e lambendo-o e Shukla fica extremamente feliz em vê-los. Ele conversa com os cães, faz carinho neles e depois percorre a propriedade de três hectares e meio.

Na última contagem, existiam 735 cães no local. Há labradores, grandes dinamarqueses, dachshunds, rottweilers, centenas de cães sem raça definida, entre outros.

Foto: Asif Saud
Foto: Asif Saud

A maioria deles vivia nas ruas enquanto outros foram abandonados por seus tutores. Os últimos a chegarem foram 22 cães cujo tutor, um empresário da cidade, foi morto a tiros por criminosos recentemente.

“Eu sou a última parada para esses cães, eles não são considerados mais bonitos e fofos, muitos estão doentes e são rejeitados”, disse Shukla, de 45 anos.

Carinhosamente conhecido como o “Dog Father”, ele chama os cães de seus bebês e ele é seu “papa”. Shukla, que fundou uma empresa de software junto com sua esposa há 10 anos, passa de três a quatro dias por semana na fazenda, cuidando dos animais.

“Trabalhei em Delhi, nos Estados Unidos e, em seguida, criei a minha própria empresa em Bangalore. A vida era toda sobre comprar carros grandes e relógios caros e viver de forma extravagante. Eu tinha viajado e vi o mundo muitas vezes, mas não era feliz”, contou.

Foto: Asif Saud
Foto: Asif Saud

Então, Kavya entrou em sua vida: uma bela Golden Retriever de 45 dias pela qual ele se apaixonou irremediavelmente. Foi em junho de 2009 e Shukla lembra claramente o dia em que a trouxe para casa.

“Quando chegamos, ela se escondeu em um canto. Fui até ela no chão, estava chamando-a. Ela estava olhando para mim, com medo, mas eu podia ver que ela queria confiar em mim”, afirmou.

A segunda cadela de Shukla, Lucky, foi morar na residência três meses depois, quando ele a resgatou das ruas: “Chovia há 12, 13 dias, ela estava molhada e miserável, então eu a trouxe para casa também”.

Nas semanas seguintes, sempre que encontrava um cão perdido ou abandonado, ele o levava para casa. Inicialmente, Shukla os manteve lá, mas quando sua esposa protestou, levou alguns para o escritório e o último andar foi transformado em uma casa para cães.

Foto: Asif Saud
Foto: Asif Saud

Em 2012, com o aumento do grupo, Shukla comprou terras na cidade de Doddballapur e montou a fazenda – um paraíso para cães idosos, doentes ou simplesmente indesejados.

A fazenda é projetada para seus moradores caninos, com muitos espaços abertos para que eles possam correr e lagoas para nadar e há vedação dupla para mantê-los seguros.

Cada vez que se entra em um recinto, uma cacofonia de latidos surge.

Foto: Asif Saud
Foto: Asif Saud

Existem 10 pessoas que trabalham ali, incluindo assistentes veterinários treinados para cuidar dos cães, cozinhar para eles e alimentá-los. Muitos animais doentes precisam de atenção e medicamentos regulares, informou a BBC.

O custo diário do funcionamento do centro é de 45 mil a 50 mil rúpias (US$ 663, 532 a US$737), de acordo com Shukla, que afirma assumir a responsabilidade de 93% das despesas.

Em 2015, houve algumas exigências para que ele fechasse a fazenda. Ele se recusou: “Fiz um pacto com meus cães. Só nos separaremos quando um de nós falecer”, finalizou.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui