Proteger os animais é compreender suas necessidades


Divulgação
Divulgação

Os cães são muito mais inteligentes do que pensam os humanos. É o que afirmam cientistas da Universidade da Califórnia, nos Estados Unidos. Em uma reportagem da revista “New Scientist”, os pesquisadores afirmam que o melhor amigo do homem sabe contar e que tenta passar mensagens usando diferentes tipos de latidos.

Em geral, os cães latem alto quando são separados de seus tutores. Já quando estranhos se aproximam ou a campainha toca, emitem latidos baixos e secos, explica a especialista em comportamento animal da universidade, Sophia Yin. Quando brincam, os sons são altos e espaçados.

Por isto, segundo a ativista Vininha F. Carvalho, editora da Revista Ecotour News, não existem raças “problemas” e sim humanos que cuidam de cães, de raças ou não, de forma inadequada. Numa sociedade cada vez mais urbana e distante da natureza, poucas pessoas conseguem compreender a “linguagem” do animal e, por isto, acabam abandonando-o a própria sorte.

O grande desafio da causa dos animais é construir uma nova mentalidade, conduzindo as ações para que haja um amadurecimento no relacionamento entre as pessoas e os animais. Para que isto se torne possível, se faz necessário diferenciar responsabilidade social de caridade.

A responsabilidade social enfoca a busca da solução do problema, agindo diretamente na causa. A caridade investe na consequência, dificultando que o problema seja resolvido, pois não estimula a união de esforços para descobrir a verdadeira causa do problema. O assistencialismo é imediatista. A responsabilidade social é uma atitude que envolve determinação e persistência, que garante um futuro muito melhor.

Para Vininha F. Carvalho, o ideal não é apenas lutar para tirar os animais da rua. É preciso educar as pessoas para que não ocorra o abandono, tornando cada cidadão responsável pelo seu animal. “Precisamos dar futuro aos animais, e isto com certeza, não se faz através de esmolas, e sim, com conscientização de seus direitos, incidindo no adestramento adequado, que propiciará um convívio harmonioso”, conclui.

Despertar a criatividade, através de novas ideias, ecoando nos corações sensíveis, conseguindo instalar nas mentes o desejo de amar e respeitar os animais é a meta a ser atingida. Agindo assim, formaremos uma legião de educadores, capazes de promover a tutela responsável e o controle de natalidade.

Fonte: Notícias Terra


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

ETERNIZADO

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>