CONTEÚDO ANDA

Cadela que viveu durante anos em gaiola minúscula finalmente é libertada

Por Ana Luiza Yoneda / Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

OTOZ Animals
OTOZ Animals

Amantes dos animais sempre  ficam perplexos quando ouvem histórias de pessoas praticando formas horríveis de abusos. Quando olhamos para os rostos de nossos amigos peludos, somos instantaneamente tomados por um sentimento de amor só por eles serem quem são.

No entanto, algumas pessoas não nutrem esses tipos de sentimentos em relação a cachorros. Infelizmente, a terrier Lizka não recebeu nenhum carinho das pessoas que estavam com ela. Essa pobre cadela foi forçada a viver em uma gaiola minúscula, privada de comida e água e quando ativistas da OTOZ Animals – uma organização de resgate polonesa – a encontraram, ela estava em um estado deplorável.

Os anos em que viveu dentro de uma pequena gaiola a deixaram com seus músculos severamente contraídos e com o espírito partido. Os ativistas a descreveram como se a cachorrinha estivesse esperando a morte sozinha dentro da gaiola imunda.

Por sorte, graças às pessoas incríveis da OTOZ Animals, esses dias acabaram. A cadela foi levada às pressas para uma clínica veterinária de emergência e recebeu toda a atenção médica necessária para se recuperar da dor física e do trauma que sofreu.

Depois de muitos cuidados, Lizka está muito melhor. A OTOZ Animals recentemente compartilhou um vídeo dela correndo e aparentando estar muito feliz!

Embora Lizka ainda possua alguns problemas de mobilidade em suas pernas traseiras, seu espírito parece estar mais forte do que nunca, segundo o One Green Planet. A forma como ela graciosamente corre para cumprimentar seus cuidadores mostra o quão longe essa forte cadela chegou.

Essa incrível transformação mostra até onde a bondade e o amor podem ir quando se trata de reconstruir a vontade de viver de um animal. Lizka pode ter conhecido apenas dor e sofrimento no início de sua vida, mas esses dias logo serão memórias distantes.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui