CONTEÚDO ANDA

Cadela nasce sem parte do cérebro e fica cega devido à exploração de fábrica de filhotes

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

RSPCA, Facebook
RSPCA, Facebook

Uma cadela e seu filhote de seis semanas foram encontrados ao lado de uma estrada. Peggy estava sem parte de sua perna e também havia algo errado com sua filha Pip Squeak, mas ninguém sabia o que era. As duas foram levadas para a filial local da Royal Society for the Prevention of Cruelty to Animals (RSPCA) no Reino Unido.

Primeiro, os ativistas pensaram que um acúmulo de líquido no cérebro de Pip deixou-a cega. Porém, como o inchaço diminuiu, eles fizeram uma ressonância magnética e descobriram algo chocante.

RSPCA
RSPCA

“A ressonância revelou que estava faltando parte do cérebro do filhote, o que impediu o desenvolvimento de seus nervos óticos e, por isso, ela não conseguia enxergar. É algo que a equipe de neurologia do Animal Health Trust nunca tinha visto antes em um cão”, disse Amy De-Keyzer, assessora de imprensa da RSPCA.

Pip irá precisar de medicação pelo resto de sua vida, assim como colírios e exames regulares.

“Uma teoria é a de que ela é filha de dois cães Merle para produzir uma coloração específica, algo que é considerado desejável na cultura de hoje. Estes cães coloridos podem ter um gene defeituoso e causar problemas de saúde em qualquer descendente, como Pip”, explicou De-Keyzer.

A história de Pip é apenas mais um exemplo de como os criadores de filhotes só pensam no lucro em detrimento da saúde dos cães.

RSPCA
RSPCA

A mãe de Pip também tem seus próprios problemas. “Peggy não possui a parte inferior de sua perna traseira esquerda – uma lesão que já foi curada – e achamos que ela irá precisar de tratamento veterinário e cirúrgico”, explicou Kathy Butler, consultora da RSPCA.

“O veterinário acredita que isso é o resultado de uma lesão traumática ou pode ter sido causado deliberadamente. Embora a amputação seja uma opção, ela pode ser encaminhada para tratamento especializado e deve ser uma candidata para receber uma prótese.”

RSPCA
RSPCA

Felizmente, esse passado de crueldade acabou para a pequena família. “Elas estão seguras sob nossos cuidados e agora estão se adaptando em seu lar adotivo”, disse Butler.

Peg e Pip irão precisar de uma cirurgia extensa para se recuperarem completamente, de acordo com a RSPCA, que está à procura  de quem abandonou as duas cachorras.

Nota da Redação:  Peg e a pequena Pip ficaram com sequelas físicas e emocionais que mostram a verdadeira face do comércio de animais. Suas histórias comoventes são uma denúncia da crueldade que os animais são obrigados a enfrentar porque ainda existem pessoas que financiam esta indústria. As pessoas interessadas em cuidar de um animal jamais devem comprá-los, mas sim visitar abrigos e centros de resgate para ajudar aqueles que buscam uma nova família.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui