CONTEÚDO ANDA

Tigres enclausurados em aquário nunca viram a luz do sol

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

Por Rael Moares / Redação ANDA

Há 12 anos, quatro tigres brancos não sentem o calor do sol. Eles nunca tiveram a chance de se refugiar do calor em uma árvores em um dia de verão ou preguiçosamente esticar seu corpos em um campo de grama e terra macia.

A triste história desses tigres começou em dezembro de 2004, quando os animais, nascidos em cativeiro, foram comprados por um aquário fechado em Houston, Texas (EUA).

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

Agora, ativistas estão se preparando para lutar com todas as forças para tirá-los de lá o quanto antes.

Os quatro tigres brancos – Nero, Marina, Carol e Reef, todos entre 12 e 13 anos de idade – são explorados em atração conhecida como “Templo de Maharaja”.

Fonte: CARNEY ANNE NASSER
Fonte: CARNEY ANNE NASSER

A exibição interna apresenta os tigres vivendo em um espaço de concreto, como um set de filmagem, com apenas uma barreira de vidro dando a eles acesso a uma visão do mundo exterior.

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

Quando os tigres não estão em exposição, eles residem em áreas de bastidores não visíveis ao público, confinados em pequenas jaulas.

Fonte: ANIMAL LEAGUE DEFENSE FUND
Fonte: ANIMAL LEAGUE DEFENSE FUND

“As condições em que os tigres são confinados no Downtown Aquarium, em Houston, são inaceitáveis. Parecem verdadeiras masmorras e prejudicam sua saúdes física e psicológica, negando-lhe condições básicas de sobrevivência” afirma Jennifer Conrad, veterinária do Fundo de Defesa Legal Animal (ALDF).

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

“É cruel confinar grandes felinos como tigres em recintos minúsculos, escuros e artificiais. Onde nem sequer há acesso à luz do sol”, acrescenta, “Eles sofrem sérios riscos de desenvolverem lesões debilitantes por serem forçados a viver alojados sob concreto escorregadio e inflexível”, afirma.

Fonte: CARNEY ANNE NASSER
Fonte: CARNEY ANNE NASSER

Essa semana, a ALDF enviou para a Landry’s Inc., companhia proprietária do Downtown Aquarium, um aviso de intenção de processo por violações da Lei de Espécies Ameaçadas (ESA). A ALDF planeja seguir com o processo dentro de 60 dias se a Landry’s escolher não ceder e entregar a guarda dos tigres para santuários credenciados.

Fonte: CARNEY ANNE NASSER
Fonte: CARNEY ANNE NASSER

Antes da chegada dos tigres em 2004, houve uma reação contra o alojamento dos quatro felinos no local. Mas Carney Anne Nasser, um dos advogados da ALDF envolvidos no processo, disse que é um cenário diferente em 2016, por que há mudanças na Lei de Espécies Ameaçadas e estão próximas mudanças nas diretrizes da AZA (o grupo que credencia o Downtown Aquarium) sobre manter tigres em cativeiro, além de precedentes judiciais mais recentes relacionados com tigres em cativeiro.

A ALDF está argumentando que as atuais condições de vida dos tigres violam a seção do manual da AZA sobre cuidados de grandes felinos, que define que todos os recintos de tigres devem ter um espaço aberto, vegetação natural e oportunidades para os tigres apresentarem comportamentos naturais, tais como correr, pular, escalar, e ser capaz de se esconder do público.

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

De acordo com a notificação de intenção de processo da ALDF, tanto na área de exibição quanto nas áreas internas, os quatro tigres estão sendo privados de uma experiência natural. A notificação também diz que os tigres estão desenvolvendo dores nas patas, problemas circulatórios e nas articulações por viver em um “não natural e inflexível” concreto.

Somados aos problemas e riscos físicos, fatores psicológicos foram mencionados também. “De fato, foi observado que os tigres estão se lançando e apresentando movimentos ritmados contra a parede de vidro que separam os tigres do público – respostas comuns de estresse de tigres vivendo em um confinamento sem capacidade de buscar privacidade da visão do público, ” diz a notificação.

Ainda assim, a Landry’s afirma que as alegações feitas contra a exibição dos tigres do Downtown Aquarium são “falsas e manipuladoras” e ameaçou abrir um processo de calúnia e difamação, de acordo com o Houston Chronicle.

Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON
Fonte: FACEBOOK/DOWNTOWN AQUARIUM HOUSTON

Dois santuários de renome e aprovados pela ALDF se comprometeram a receber os tigres se a Landry’s finalmente abrir mão da guarda dos animais. Mas através de um comunicado oficial, o aquário afirma que só entregará os animais para instituições escolhidas por eles próprios sem necessidades de intermediários.

Agora, o destino e o futuro dos quatro tigres, que nunca conheceram a vida em seu habitat, estão em jogo. Mas, após 12 anos de confinamento, há a esperança que finalmente algo de bom acontecerá na vida dos felinos.

“Nessa fase pós-Blackfish, um público esclarecido está se afastando da noção de que expor animais por razões puramente de lazer, e sem nenhuma relação com suas necessidade complexas como espécie, é necessária” diz Nasser.

Fonte: CARNEY ANNE NASSER
Fonte: CARNEY ANNE NASSER

Gostaria de incentivar o Downtown Aquarium para permitir que os tigres vão para um santuário? Contate o aquário através de suas redes sociais, via Facebook ou Twitter. Você pode também assinar uma petição aqui.

Nota da Redação: Viver confinado em um ambiente artificial para entretenimento humano, além de cruel é totalmente prejudicial à saúde e bem estar dos animais. A melhor forma de encerrar atividades que usam e exploram animais vivos como forma de diversão e fonte de lucros, é não financiar parques e jardins zoológicos, circos, aquários rodeios, etc. Boicote, não pague para assistir o sofrimento de seres vivos que nasceram para serem livres.

 

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui