Arqueologia

Estudo sugere que os gatos acompanharam os vikings em suas viagens

Divulgação
Divulgação

Intrigados para descobrir quando a população de felinos começou a se expandir, os cientistas do Instituto Jacques Monod, na França, fizeram um grande estudo sobre o tema e chegaram a conclusões interessantes. De acordo com os especialistas, os gatos acompanharam os vikings em suas expedições marítimas.

A conclusão foi apresentada no Simpósio Internacional de Arqueologia Biomolecular na Universidade de Oxford, na Inglaterra. Os arqueólogos analisaram o material genético de 209 gatos que foram encontrados em trinta sítios arqueológicos da Europa, Oriente Médio e África.

Os resultados revelaram que a população de gatos na antiguidade teve dois momentos de grande expansão. O primeiro deles foi no Antigo Egito, há seis mil anos, quando esses animais eram domesticados e até adorados pela população.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Já a segunda expansão aconteceu durante as expedições dos vikings. Durante a fase de pesquisas, o DNA de um felino foi encontrado em um sítio arqueológico viking no norte da Alemanha. Acredita-se que o material seja de um animal que tenha vindo com os tripulantes do navio entre os séculos VIII e XI. A principal teoria é de que os gatos estavam a bordo do navio para manter os ratos longe dos alimentos e mantimentos que eram transportados no barco.

Fonte: Pet Cidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui