Coruja ferida com linha de pipa é resgatada em São Gonçalo (RJ)


Por Bruna Araújo / Redação ANDA (Agência de Notícias de Direitos Animais)

Animal está em fase de reabilitação no Instituto Vida Livre (Foto: Danille Aires)
Animal está em fase de reabilitação na sede do Ibama (Foto: Danielle Aires)

Uma coruja-orelhuda (Asio clamator) foi encontrada ferida em uma árvore por uma moradora do bairro Água Mineral, em São Gonçalo, Região Metropolitana do RJ. O animal foi avistado tentando alçar voo sem sucesso. Comovidos, moradores conseguiram retirar o animal do local e ficaram impressionado com o que viram: a ave estava com as asas totalmente envolvidas por uma emaranhado de linhas embebidas em cerol (substância cortante a base de vidro moído proibida no país).

Sem informações de quais providências tomar, a moradora entrou em contato com Tânia Calaça, membro da Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB/ São Gonçalo, unidade presidida pela Carla Lacerda que realiza um enorme esforço pelo reconhecimento dos direitos animais na cidade, que com o apoio de uma protetora de animais da região acionou o Instituto Vida Livre, que prontamente realizou o resgate do animal ferido.

A ave foi acolhida gratuitamente e recebeu durante uma semana os cuidados do presidente do Instituto Roched Seba e da veterinária Danielle Aires. “A coruja chegou com um quadro de desnutrição profunda, muito magra e apática. Recebeu alimentação forçada com suplementação energética durante três dias até se recuperar. No momento ela está em observação sob os cuidados do Dr. Daniel Machesi ( médico veterinário responsável pelo Centro de Triagem de Animais Silvestres do Ibama -RJ) , aguardando o resultado de uma série de exames coletados e realizados pelo Instituto Vida Livre para avaliar verminoses e infecções. Também estamos avaliando se a capacidade de voo se mantém íntegra”, afirma Roched Seba em entrevista exclusiva à ANDA.

Roched falou também sobre o destino da corujinha. “Após a reabilitação, ela será encaminhada para a única área de soltura e monitoramento de animais silvestres no Estado do Rio, cuja gestão é do Instituo Vida Livre”, afirma.

Cerol, perigo para os animais

A prática ilegal do uso de cerol em linhas de pipas é comumente associada como perigosa para pessoas, mas também representam um imenso perigo, muitas vezes fatal, para aves de diversas espécies. O uso irresponsável da substância, cujo uso é proibido e pode ser penalizado com multa, causa danos irreversível nos animais e até a morte. “Ocorrência relativas ao uso de cerol em pipas, popularmente conhecidas como cafifas, ocorrem com frequência na região. Campanhas educativas se fazem necessárias para que se perceba a agressão que estamos promovendo ao meio ambiente”, fiz Tania Calaça, protetora animal e membro da Comissão de Proteção e Defesa Animal da OAB/ São Gonçalo.

Animais silvestres desamparados

O estado do Rio sofre com a ausência de instalações e investimentos públicos destinados à reabilitação e cuidados de animais silvestres. “Em todo estado existe apenas um CETAS (Centro de Triagem de Animais Silvestres) que funciona via Ibama e que muitas vezes fica incapacitado por falta de recursos. A outra alternativa é uma unidade de reabilitação que funciona em uma universidade privada na zona Oeste do Rio”, lamenta Roched.

Sobre o Instituto Vida Livre

O Instituto Vida Livre atua em serviços de manejo de fauna silvestre desde o final de 2014 e coordena projetos e serviços na área de Soltura de Animais Silvestres Serra do Matogrosso e no projeto de reintrodução do papagaio Chauá (#VEMCHAUÁ). A instituição realiza também manejo e resgates voluntários, além de projetos de pesquisa em parcerias com universidades, com destaque para desenvolvimento de uma prótese de bico 3D para uma tucana mutilada (o caso foi noticiado pela ANDA e pode ser relembrado aqui). O Instituto Vida Livre foi indicado pela World Animal Protection e está ajudando no resgate de animais silvestres durante a realização dos jogos olímpicos Rio2016. O maior desafio da instituição é a construção da sede e de um centro de triagem que funcionará em Niterói (RJ). Para ajudar e conhecer mais sobre o Instituto Vida Livre acesse o site ou a página no Facebook.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

DEBILITADO

DECISÃO JUDICIAL

INSPIRAÇÃO

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>