Galinha resgatada de granja sofre com as sequelas de hormônios injetáveis


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/IgualdadInterespecie
Reprodução/IgualdadInterespecie

As galinhas são exploradas das formas mais cruéis possíveis na indústria agropecuária. Apesar de pesquisas mostrarem que elas são muito inteligentes, incrivelmente emocionais, e afetuosas, elas são tratadas como propriedades e vítimas de abuso constante.

A partir do momento em que nascem, os filhotes são destinados a uma vida onde sofrerão as consequências físicas da manipulação genética. Aqueles animais que produzem ovos, são tão drasticamente alterados de modo que coloquem 250 ovos por ano, um número que antes era de 24 ovos por ano, relata o One Green Planet.

Já as galinhas criadas para produção de carne crescem a um ritmo incrivelmente rápido. Hoje, os animais possuem quase o dobro do tamanho de uma galinha de 60 anos atrás, por conta dos hormônios.

A maioria das galinhas não pode consegue ficar de pé quando atingem o tamanho considerado adequado para serem mortas porque suas pernas não suportam seu peso.

Assim como a indústria de ovos descarta pintinhos machos, às vezes pintinhos da indústria da carne são vistos como “impróprios” e simplesmente jogados na lata de lixo.

Alguns filhotes  a sorte de serem descoberto nos recipientes e são salvos. Este foi o caso de Alex, um filhote resgatado que agora reside no Santuarário Igualdad Interespecie.

De acordo com o santuário, Alex é uma fêmea carinhosa que gosta de sair com seus dois melhores amigos, ficar com trabalhadores santuário e dividir sua comida com seus companheiros.

Infelizmente, apesar de Alex estar muito longe da fazenda sombria em que nasceu, devido às alterações genéticas e drogas que recebeu no local, ela precisa lidar com as repercussões físicas geradas por tamanha crueldade.

Esta doce fêmea tem crescido muito desde a sua chegada ao santuário suas pernas frágeis estão sendo prejudicadas por isso.

Alex é apenas um exemplo da crueldade que existe no sistema alimentar atual. A maneira como seu corpo foi manipulado e a forma como ela foi descartada evidenciam a crueldade da indústria que mata milhões de animais todos os dias.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>