CONTEÚDO ANDA

Militares exploram animais em experiências cruéis em laboratório do Reino Unido

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/GettyImages
Reprodução/GettyImages

Uma série de testes horríveis em animais conduzidos por militares, envolvendo a mutilação de porcos, coelhos e macacos, foi descoberta em um laboratório do governo do Reino Unido.

O massacre dos animais foi filmado e revela como eles foram esmagados, envenenados com gás tóxico e infectados com doenças, o que provocou revolta em ativistas que pressionam pela proibição das pesquisas, segundo o Mirror.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Os números divulgados pelo Freedom Information mostram que 7,373 experiências foram realizadas desde 2014 em secretos laboratórios de Porton Down, em Wiltshire. Foram 124 em primatas, 158 em porcos e 439 em porquinhos da índia.

Em alguns testes, quatro macacos rhesus foram infectados com tuberculose antes de serem observados por duas semanas. Dois deles ficaram tão doentes que foram mortos depois de uma semana.

Reprodução/GettyImages
Reprodução/GettyImages

Em outros experimentos, realizados pelo Ministério da Defesa, os porcos foram mortos, os coelhos explodidos e porquinhos da índia foram injetados com um agente tóxico inventado pelos nazistas.

A instalação de Porton Down foi aberta há 100 anos, em resposta aos ataques com gás dos alemães sobre as tropas britânicas durante a Primeira Guerra Mundial.

Durante a Guerra Fria, os cientistas desenvolveram o CS ou gás lacrimogêneo, usado para controle de multidões em alguns países. A unidade também abriga um laboratório de categoria 4 que permite a movimentação e armazenagem de vírus perigosos, como o ebola.

O número de testes em animais caiu de 4.124 em 2014 para 3.249 em 2015. Mas ainda assim muitos animais morrem como resultado dos testes e quase todos os que sobrevivem tem a morte induzida.

Para os defensores dos direitos animais, os testes realizados hoje são tão cruéis como antes.

Em um teste de varíola realizado em macacos, os animais começaram a tossir depois de quatro dias e depois de seis dias eles experimentaram perda de peso severa, dificuldades respiratórias, anorexia e aumento da temperatura corporal.

Eles também desenvolveram centenas de feridas na pele. No teste sobre os macacos rhesus, dois foram mortos após 10 semanas, pois estavam gravemente doentes. Todos sofreram perda de peso, danos pulmonares e pneumonia e foram mortos após 20 semanas.

Em outra experiência horrível, 24 grandes porcos brancos tiveram seus baços removidos antes de serem baleados quatro vezes com uma pistola de parafuso para criar lesões musculares graves no posterior de suas coxas.

Em outro teste, porquinhos da índia foram bombeados com o agente tóxico Soman que foi desenvolvido pelos nazistas e usado na guerra entre Irã e Iraque em 1988. O gás é uma arma de destruição em massa e é ainda mais letal do que o sarin.

Alguns animais apresentaram insuficiência respiratória dentro de 30 minutos, outros lutaram para respirar e ficaram paralisados.Dois terços dos animais morreram durante o período de teste de 24 horas e os que sobreviveram tiveram seus pescoços quebrados.

Katy Taylor, diretora de ciência do grupo internacional Cruelty Free, que descobriu os números chocantes, declarou: “É absurdo que animais ainda sejam massacrados, envenenados, ou sujeitos a tais experimentos cruéis e perturbadores”.

“O nível de sofrimento que os animais têm que suportar em experiências militares realizadas em Porton Down é completamente inaceitável”, completou.

1 COMENTÁRIO

  1. QUE COISA HORRÍVEL!! TEMOS QUE CRIAR E INVENTAR COISAS PARA O BEM SEM USAR ANIMAIS COMO COBAIAS. ESSE TEMPO RETROGRADO JÁ ERA, JÁ FOI. VAMOS USAR NOSSA INTELIGÊNCIA COM CRITÉRIO, RESPEITO AO PRÓXIMO E COM AMOR NO CORAÇÃO?? QUE TAL??

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui