Cabra da montanha pula no oceano para fugir de multidão e acaba morrendo


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Reuters
Reprodução/Reuters

Uma cabra da montanha do Alasca apareceu na cidade de Seward, nos Estados Unidos, e infelizmente este momento raro atraiu várias pessoas e resultou em uma tragédia.

Oficiais da polícia declararam a uma agência de notícias que a cabra estava sendo assediada por um grupo de pessoas que queriam fotografá-la, mas quando eles chegaram ao local, o animal havia desaparecido, segundo o Washington Post.

De acordo com Kerri O’Neill ,que jantava com sua filha e avistou o animal ir do estacionamento de um restaurante até a praia, a cabra parecia tentar encontrar seu caminho de volta para o deserto, mas tinha atraído uma multidão que a perseguia para tirar fotografias.

Sem ter para onde escapar, a cabra pulou no oceano.

“A investigação revelou que uma grande quantidade de pessoas a seguiu para as rochas da praia e, por isso, a cabra saltou para a água”, disseram os oficiais.

“Nem mesmo na água, ela conseguiu ficar sozinha. Havia uma lontra próxima e um cão da raça Spaniel nadou até a cabra”, relatou O’Neill.

Ela afirmou ter contatado o Centro para a Vida Marinha do Alasca, que a transferiu para o Centro de Conservação da Vida Selvagem do Alasca e este lhe pediu para dizer para as pessoas se distanciarem da cabra.

Cerca de 30 minutos se passaram desde o momento em que os oficiais procuraram o animal e o mergulho no oceano e a praia estava repleta de espectadores.

Encurralada na água, a cabra se afogou. Os oficiais declararam que o animal tinha morrido “sem motivo.” Ou, pelo menos, por motivos desnecessariamente frívolos: As pessoas não lhe deram espaço e o perseguiram para tirar fotos, disseram as autoridades.

Reprodução/CBC
Reprodução/CBC

De acordo com o Departamento de Pesca e Jogos do Alasca, as cabras da montanha estão entre os “grandes mamíferos menos estudados na América do Norte.” Apesar do nome, elas estão mais estreitamente relacionadas com antílopes do que com cabras domesticadas.

Este é o mais recente de uma série de encontros com animais selvagens que terminou de forma trágica. No estado de Washington, uma mulher erroneamente acreditou que estava resgatando um filhote de foca ao levar o animal para sua casa dentro de um saco de compras.

Depois disso, as autoridades da vida selvagem consideraram que o animal estava letárgico demais e induziram sua morte.

Em maio deste ano, uma dupla de turistas avistou um filhote de bisão no parque nacional de Yellowstone que acreditaram estar com frio e o colocaram na parte traseira de um automóvel. Mais tarde, guardas-florestais mataram o filhote que não poderia ser devolvido à natureza.

Anteriormente, também neste ano, banhistas argentinos tiraram um golfinho bebê da água apenas para tirar fotografias. O animal foi deixado na areia e faleceu.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

ASCENSÃO

GRATIDÃO

INDEFESAS

VIDA NOVA

ETERNIZADO

AÇÃO SOCIAL

AMOR


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>