CONTEÚDO ANDA

Congresso dos EUA pressiona militares para abolir exploração animal em treinamento médico

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/PETA

Após vários esforços da PETA, nos últimos anos, o Departamento de Defesa dos Estados Unidos (DOD) se comprometeu a substituir o uso de animais em vários setores da educação médica por simuladores de alta tecnologia mais realistas que se assemelham aos seres humanos.

Porém, em relação ao treinamento cruel e mortal em situações de traumas, o progresso tem sido lento e os membros do Congresso do país querem saber o motivo, diz a PETA.

Em uma carta enviada nesta manhã, 71 membros do Congresso dos dois partidos liderados por Joe Heck e por Jackie Speier, ambos membros do Comitê da Câmara de Serviços Armados, pedem ao secretário de Defesa Ashton Carter que verifique o progresso que o DOD tem feito para modernizar o treinamento médico dos militares.

Assim como a PETA, a coalizão de membros do Congresso, que inclui muitos militares veteranos, enfatizou os benefícios educacionais e a economias de custo dos simuladores.

Os legisladores também pediram informações comparativas sobre os gastos do DOD no uso de Animais e de simuladores e a evolução do uso de simulares pelo DOD.

Os regulamentos militares exigem que métodos de treinamento que não utilizam animais sejam usados sempre, mas tem ocorrido pouca responsabilização e transparência a respeito do uso continuado de animais pelo DOD.

Milhares de animais são esfaqueados, desmembrados e mortos a cada ano devido aos exercícios de treinamento em situações de trauma.

” Os avanços trazidos pelos simuladores tornam a formação mais precisa. Acabar com o uso de animais vivos durante o treinamento militar e usar simuladores irá aumentar a prontidão e a eficácia militar, reduzir os custos de treinamento, e salvar a vida de inúmeros animais”, diz Heck, médico e veterano que participou da Guerra do Iraque, e presidente do Subcomitê do Comitê de Serviços Militares das Forças Armadas dos Estados Unidos.

“Estou satisfeito em garantir a Heck que o DOD está seguindo seus próprios procedimentos para eliminar progressivamente esta prática desnecessária e cruel. Esperamos que não ocorram mais atrasos para encerrar esta prática bárbara “, declarou Speier, membro do Subcomitê de Supervisão e Investigação da Comissão de Serviços Armados.

Embora os dados, mostrados pela PETA, revelem que os simuladores amplamente disponíveis são mais eficazes,
milhares de animais saudáveis continuam sendo mutilados no treinamento de militares.

A Lei de Melhores Práticas, um projeto bipartidário, iria eliminar progressivamente os laboratórios animais militares até o final de 2020.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui