Exemplo

Ativista livra 1 mil animais da morte em festival de carne de cachorro

Reprodução/Instagram
Reprodução/Instagram

Enquanto o mundo inteiro assiste com horror ao festival de carne de cachorro de Yulin, na China, o ativista Marc Ching, dos Estados Unidos, e sua namorada foram até a China e colocaram seu plano em ação: libertaram 1 mil cachorros que estavam em seis abatedouros.

Outros ativistas também estão libertando animais. No festival, que dura dez dias, espera-se a matança de 10 mil animais. Na China, estima-se que entre 10 e 20 milhões de cachorros sejam mortos anualmente.

Marc Ching já atuou contra a morte de cachorros em outras cidades da China e no Camboja. Alguma boa alma tinha mesmo que fazer algo por estes pobres animais.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

“Viemos para Yulin dizer às pessoas que os cachorros são nossos amigos. Eles não deveriam matar cachorros desta maneira e muitos dos animais que eles matam são animais queridos para alguém”, disse um ativista para o Mashable.

“É uma tradição de anos. Nós não podemos mudar simplesmente porque eles amam cachorros”, afirmou um morador local que deu apenas seu sobrenome, Huang, para a The Associated Press. “Desde que eles chegaram, estragaram o clima completamente”, completou.

Fonte: Vírgula

1 COMENTÁRIO

  1. Não é tradição coisa nenhuma! Eles começaram a matar cachorros em 2009 e inventaram esse Festival para ganharem dinheiro às custas de vidas inocentes e amadas!! Povo cínico!! Eles comem tudo que se mexe, desde grilos até cavalos! Nojentos, frios, não tem compaixão! Merecem bem o governo que tem!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui