Mulheres com animais domésticos correm menos risco de ter AVC


Divulgação
Divulgação

As mulheres que convivem com animais domésticos correm um menor risco de morrer por causas cardiovasculares, como um acidente vascular cerebral (AVC). Esta é a conclusão de um estudo da Faculdade de Saúde Pública da Universidade de Georgia Southern, nos Estados Unidos.

Conta a Reuters que as mulheres com mais de 50 anos saudáveis são as que mais beneficiam da companhia de um cão ou gato, sendo que este último animal está relacionado a um risco ainda menor.

A conclusão surgiu depois de terem sido analisados quatro mil adultos com 50 anos, mas sem qualquer doença particularmente grave conhecida e que participaram no National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) entre 1988 e 1994. Os participantes tiveram também que revelar pormenores sobre o seu estilo de vida, alimentação e atividade física.

Depois de cruzarem todos os dados, os cientistas norte-americanos concluíram que 35% das pessoas tinham um animal doméstico, com maior preferência para cães, mas foram as pessoas que não tinham um amigo de quatro patas as que mais faleceram por problemas cardiovasculares.

Conta a Reuters que embora se tenha verificado que tantos os homens com animal domésticos como os homens que não tinham este compincha apresentavam uma taxa de morte idêntica, no caso das mulheres, a presença de um animal doméstico fez cair a probabilidade de morrer à boleia de um AVC em 40%.

De acordo com os investigadores, o risco de morte foi ainda menor no caso de guardiãs de gato, não pelos efeitos benéficos do animal em si na saúde dos humanos, mas sim pela personalidade comum entre os guardiões de gatos, que, segundo o estudo, tendem a ter maiores cuidados com o coração.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Noticias ao minuto


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CONSERVAÇÃO

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

MAUS-TRATOS

HABITATS DESTRUÍDOS

OMISSÃO

ECONOMIA CIRCULAR

DEDICAÇÃO

TECONOLOGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>