“Reserva de caça” é transformada em santuário para salvar leopardos-das-neves


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/NationalGeographic
Reprodução/NationalGeographic

O leopardo-das-neves é um dos alvos de caçadores em busca de ‘’troféus’’ no Quirguistão, mas essa realidade está mudando com as novas medidas de proteção e iniciativas do governo em parceria com ativistas.

Embora um sistema esteja em vigor para regular o número de animais caçados e considerados “troféus”, até recentemente a intensa caça no país reduziu severamente a população desses animais, de acordo com a União Internacional para a Conservação da Natureza, que define o status de conservação das espécies, diz a National Geographic.

Porém, depois que o presidente Almazbek Atambayev assumiu o cargo, em dezembro de 2011, a perspectiva desses animais melhorou no país.

Em março deste ano, o presidente ordenou que uma antiga reserva de caça de ‘’troféus’’ (de 260 quilômetros quadrados) chamada Shamshy, no norte de Tian Shan, fosse transformada em um habitat natural e totalmente protegido para os felinos.

Segundo o Fundo para os Leopardos-das-neves, uma organização sem fins lucrativos com sede nos Estados Unidos, que protege os animais, a região montanhosa oferece um habitat ideal para os leopardos e abriga cerca de 500 deles.

Isso é cerca de 10% do total mundial, estimado entre quatro mil e 6.5 mil na Rússia e em 11 países da Ásia Central.

Salvar os leopardos do Quirguistão é essencial para a sobrevivência da espécie. Isso porque o país encontra-se entre as populações desses animais que ficam no norte da Rússia, Mongólia e Cazaquistão e nas regiões mais ao sul em Karakoram e Hindu Kush.

Os leopardos-das-neves são migratórios e conhecidos por realizarem longas caminhadas e o Quirguistão serve como um corredor entre as duas populações. A mistura entre elas fortalece os genes dos animais.

A nova área protegida deve percorrer um longo caminho para poder ajudar leopardos-da-neves a prosperarem, diz Charudutt Mishra, diretor-executivo do Fundo para os Leopardos-das-neves.

“Estamos tentando proteger as presas desses animais para que possamos salvá-los “.

Sem a caça de ‘’troféus’’ Mishra afirma que a população de animais “poderia dobrar ou triplicar nos próximos 10 anos.”

A reserva Shamshy é administrada conjuntamente pelo governo do Quirguistão; ONGs conservacionistas locais e internacionais, como a Fundação para os Leopardos-das-Neves do Quirguistão; o Fundo para os Leopardos-das-neves e a Fundação para a Vida Selvagem David Shepherd, uma instituição de caridade britânica.

A reserva não está longe da capital do país, Bishkek, o que facilita também o acesso de pesquisadores internacionais ao local.

“Os parceiros da reserva também irão trabalhar com a população local para iniciar programas que incentivem as pessoas a apoiarem os esforços para a conservação dos animais”, diz Siri Okamoto, diretora de desenvolvimento no Fundo para os Leopardos-das-neves.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

VAQUINHA ON-LINE

FINAL FELIZ

LEALDADE

COMPROMISSO

ESPECIAL

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>