Veganismo é a promessa para a sobrevivência do planeta no futuro


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Care2
Reprodução/Care2

Uma das frases emblemáticas ditas por Albert Einstein foi: “Nada irá beneficiar tanto a saúde humana e aumentar as chances de sobrevivência da vida na Terra como a evolução para uma dieta vegetariana”.

Um estudo divulgado no início deste ano revelou que uma alimentação vegetariana acabaria com as taxas de mortalidade do planeta que variam entre 6% e 10% e com as emissões de gases de efeito estufa que variam entre 29% e 70%, diz o Care2.

Felizmente, o mundo parece caminhar nessa direção. Os documentários que expõem a crueldade que há por trás da indústria dos produtos de origem animal têm ganhado mais notoriedade. O grupo Mercy for Animals, por exemplo, é conhecido por realizar essas investigações e o público não está gostando do que está vendo.

O poder desses filmes mostra como as empresas têm que reavaliar suas políticas em relação aos animais. O parque marinho SeaWorld é um dos casos mais recentes: o estabelecimento anunciou o fim dos programas de reprodução de orca mantidas em cativeiro devido às manifestações do público que assistiu ao documentário “Blackfish”, que retrata a vida das orcas presas e obrigadas a participar de performances para o entretenimento humano.

Outro aspecto fundamental é a mudança climática provocada pela indústria de produtos animais. O Instituto Worldwatch estima que essa indústria é responsável por 51% de todas as emissões de gases de efeito de estufa em todo o mundo.
Por isso, observar como a pecuária prejudica o nosso planeta pode mudar os corações e as mentes das pessoas.

Há ainda os problemas que alimentos animais causam à saúde. Ao contrário de alimentos vegetais, a carne processada foi considerada como um dos principais fatores que contribui para o aumento das taxas de câncer pela Organização Mundial da Saúde.

Isso se soma ao conhecimento anterior desses alimentos com doenças cardíacas, síndrome do intestino irritável e outras condições crônicas.

Por outro lado, neste ano, foi inaugurado o primeiro centro médico, em Washington, que utiliza o veganismo como um tratamento.
Além dele, outros programas médicos têm oferecido treinamento aos residentes para oferecer tratamento de condições crônicas de saúde por meio de uma alimentação à base de vegetais.

Certamente, o veganismo é o futuro. Ao optarmos por esse estilo de vida, evitamos a violência e a destruição e respeitamos outros seres vivos.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DADOS ALARMANTES

MAUS-TRATOS

DESMONTE AMBIENTAL

ZOOFILIA

RÚSSIA

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>