Animais selvagens icônicos dos EUA perdem seu habitat e correm grave de extinção


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/Joel Sartore, National Geographic
Reprodução/Joel Sartore, National Geographic

O bisão americano acaba de ser eleito o mamífero oficial dos EUA. Mesmo assim, isso está longe de salvar o animal da extinção e seu futuro e o de outras espécies corre grande perigo.

Manadas de bisões costumavam ocupar do norte do México ao Alasca, mas hoje apenas 1% dessa região é habitada pelos animais, que vivem em áreas controladas, informa o News Scientist.

“Bisões correm mais risco de extinção do que imaginamos. Teremos que avaliar essa situação com muito cuidado neste ano”, diz Craig Hilton-Taylor, chefe da Lista Vermelha da União Internacional para a Conservação da Natureza em Cambridge, no Reino Unido.

O bisão é apenas um dos icônicos animais americanos que está ameaçado. Aproximadamente 29 espécies e subespécies, consideradas símbolos oficiais de 24 estados, correm risco de extinção, revelou a análise do News Scientist.

Segundo a pesquisa, muitos animais viviam em diversas regiões ou eram pilares das economias regionais, mas agora constituem pequenas e frágeis populações na natureza.

Reprodução/Joel Sartore, National Geographic
Reprodução/Joel Sartore, National Geographic

A pantera “da Flórida” foi designada como animal oficial do estado em 1982, mas está quase extinta. Esta subespécie de puma, que existe desde o Canadá até a América do Sul, praticamente desapareceu do leste da América do Norte, exceto na ponta sul da Flórida.
Em 1967, quando o animal foi colocado sob a proteção da Lei de Espécies Ameaçadas dos Estados Unidos, só existiam cerca de 30 panteras no estado.

Outro exemplo refere-se aos ursos pardos que foram extintos pouco mais de uma década após serem escolhidos para estampar a bandeira da Califórnia em 1911.

Em 2014, o Centro para a Diversidade Biológica em Tucson, no Arizona, entrou com uma petição pedindo para o Serviço de Vida Selvagem e de Pesca expandir para novos territórios os esforços para recuperação do animal.

Além desses animais, vários peixes, répteis e anfíbios estão ameaçadas de extinção, pois seus habitats estão desaparecendo devido à escassez de fontes de água.

“Seres humanos usam as águas em que vivem essas espécies para irrigação ou em suas casas. O problema é mais grave no oeste americano, que continua a ser atingido pela seca”, diz Brian Richter, que lidera o Programa de Água para Conservação da Natureza de Charlottesville, na Virginia.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AMOR

RIO DE JANEIRO

ALTERNATIVA VEGANA

GENEROSIDADE

REABILITAÇÃO

EMPATIA

RECEPÇÃO

FINAL FELIZ


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>