CONTEÚDO ANDA

Últimos lobos do Himalaia lutam para sobreviver à caça

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Reprodução/MadhuChetri
Reprodução/MadhuChetri

Cientistas acreditam que os humanos representam uma séria ameaça a uma espécie rara de lobo no Nepal.Uma equipe de investigação liderada pelo estudante de graduação Madhu Chetri do Colégio Universitário Hedmark da Noruega confirmou que quatro amostras fecais encontrados na região Trans-Himalaia do Nepal pertenciam a lobos do Himalaia.

A evidência indicou que estes lobos ainda percorriam as montanhas do Nepal, da Índia e do Tibete. A equipe, cujo trabalho foi publicado na revista ZooKeys, provou que esses animais ainda existem, informa o Huffington Post.

Um comunicado sobre o estudo esclarece que os lobos do Himalaia são menores do que os lobos cinzentos nativos da América do Norte e da Eurásia. Eles tem focinhos mais longos, pele branca em torno de suas gargantas, tórax e barrigas.

Não se sabe quantos lobos do Himalaia ainda existem. Um relatório de 1995 estimou na época que havia apenas cerca de 350 lobos na natureza.

A União Internacional para a Conservação da Natureza classificou os lobos como “criticamente ameaçados de extinção” na Lista Vermelha Nacional do Nepal e observou que é possível que existam apenas de 30 a 50 desses animais dentro das fronteiras do país.

A Lista Vermelha observa que entre as principais ameaças aos animais incluem perda de habitat e conflito com humanos, que foram notados pela equipe de Chhetri.

O grupo entrevistou cerca de 400 moradores, muitos dos quais eram tutores dos animais ou pastores, e descobriu que os lobos são considerados uma grave ameaça a rebanhos e animais domésticos. Por isso, algumas comunidades caçam os lobos.

“Esses lobos merecem cuidados especiais para sua conservação”, diz o estudo, acrescentando que a preservação de uma espécie é desafiadora quando há tantos conflitos com humanos.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui