Mulher diz que ajuda animais ao comunicar-se com eles


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

O cão Carley descansa a cabeça no peito da terapeuta Ortman durante sessão em seu consultório. Foto: Chris Crook/Times Recorder
O cão Carley descansa a cabeça no peito da terapeuta Ortman durante sessão em seu consultório. Foto: Chris Crook/Times Recorder

Jen Ortman diz que se comunica com animais desde criança.

“Eu sinto aromas, que podem ser agradáveis ou desagradáveis”, disse ela. “Eu capto os sentimentos deles”.

Ortman trabalha em Somerset (Inglaterra), como uma espécie de terapeuta de animais. Seus clientes são tutores que vão até ela com questões concernentes à saúde e ao comportamento de seus animais, e Ortman atua em parceria com veterinários holísticos para prover o melhor cuidado possível para eles. Ela já trabalhou com muitas espécies – incluindo tartarugas, cobras, lhamas, girafas, vacas, aves e um camelo – mas o seu foco principal são os cães.

Foto: Pinterest
Foto: Pinterest

A tutora Melanie Robison leva os seus cachorros para serem atendidos por Ortman há anos. Embora Robison afirme saber que muitos duvidam das habilidades de Ortman, ela diz não hesitar em confiar na competência da profissional.

Segundo Robinson, há muitas coisas que Ortman sabe a respeito da vida dos seus cães, e que ela não poderia ter conhecimento delas se realmente não se comunicasse com os animais. Além disso, ela relata que houve uma diferença notável no comportamento dos cães após terem visitado Ortman.

“Eu vi o quanto ela os ajudou”, disse a tutora.

Quando ela ficou mais velha, Ortman disse que começou a desacreditar de suas próprias habilidades. Não havia como, pensou ela, o tipo de comunicação que ela realizava ter chances de ser real. Mas ela conta ter visto o quanto ajudava os animais ao entender as suas necessidades, e então soube que deveria insistir em sua carreira.

Foto: Hoslistipet
Foto: Hoslistipet

Ela lembra que, certa vez, auxiliou na cura de uma cachorra que testemunhou os seus tutores serem assassinados. Ortman sentiu que o animal não estava conseguindo lidar com o trauma, e viu uma oportunidade de lhe fazer algo de bom.

“Houve um tempo em que fiquei preocupada com o que as pessoas iriam pensar”, disse ela. “Eu cheguei a um ponto em que o processo se tornou surpreendente até mesmo para mim”.

Foto: Hoslistipet
Foto: Hoslistipet

Durante as sessões, ela usa reiki, uma técnica japonesa para reduzir o estresse e a ansiedade. Robison levou seus cães Carley and Tuffy para uma sessão com Ortman recentemente, e a terapeuta usou uma combinação de toque e comunicação para determinar o bem estar dos animais.

“Você diminuiu a quantidade de comida?”, perguntou Ortman para Robison a respeito de Carley. “Ela está reclamando…me contou que você está regulando os grãos de ração”.

De acordo com a reportagem, os objetivos de Ortman são terminar o livro que ela está escrevendo e continuar a ajudar tantos animais quanto possível.

“Em última análise, os animais que necessitam de ajuda irão se conectar comigo, e eu vou fazer o meu melhor”, disse ela.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

SOLIDARIEDADE

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>