Violação de decisões

Sea Shepherd pede ajuda à Austrália e Nova Zelândia para localizar baleeiros japoneses, mas países negam informações

000
Divulgação

Na vastidão do Oceano Antártico, a frota baleeira japonesa provavelmente tem sido capaz de abater ilegalmente sua reduzida quota de 333 baleias Minke. A organização de proteção à vida marinha, Sea Shepherd Global, esperava que as nações signatárias da Organização das Nações Unidas e, especialmente, a Austrália e a Nova Zelândia defendessem a decisão do TIJ. Mas os países não o fizeram.

Após esta falha, a Sea Shepherd Global esperava que a Austrália e a Nova Zelândia poderiam, pelo menos, fornecer para a Sea Shepherd Global, as coordenadas da frota japonesa para permitir que reunissem provas sobre esta contínua atividade ilegal. E novamente, ambos agiram com indiferença e não forneceram dados que pudessem ajudar a organização.

O objetivo principal da Sea Shepherd Global para esta temporada é documentar as violações continuadas do Japão das leis de conservação e dos tribunais – Internacional e da Austrália. “Precisamos de evidências de flagrante desrespeito do Japão para apresentar na autoridade da Corte Internacional de Justiça”, disse o capitão Alex Cornelissen, CEO da Sea Shepherd Global. “Coletar evidências é absolutamente crucial para parar o abate ilegal de baleias, em curso, pelo Japão”, continuou.

“Estamos muito desapontados com os governos da Austrália e da Nova Zelândia. Eles iniciaram um processo judicial contra o Japão e a sua caça ilegal de baleias. Eles ganharam o caso. O Japão ignorou a decisão judicial e em resposta, Austrália e Nova Zelândia simplesmente viraram as costas e “foram embora”, aparentemente permitindo que os crimes japoneses contra as baleias e humanidade continuem. É uma vergonhosa falta de responsabilidade. “- disse Jeff Hansen, Diretor da Sea Shepherd Austrália.

A Sea Shepherd informou que o Steve Irwin, navio de busca e interceptação, continuará seus esforços nesta temporada para se opor a outras atividades ilegais em um mar onde o crime reina sem oposição por parte dos governos e onde a caça é uma empresa rentável para operações criminosas que acreditam ser acima da lei.

Fonte: Correio da Manhã

1 COMENTÁRIO

  1. É vergonhoso que países como Austrália e Nova Zelândia tenham esse tipo de atitude. Além disso, o Japão ignorar o ocorrido como se fosse a coisa mais natural do mundo. Acho que o caso deveria ser tratado com mais responsabilidade e seriedade e providências medidas mais drásticas teriam que ser adotadas.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui