Cão se exalta ao se deparar com um "Pluto" de pelúcia


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Disney Dorks
Foto: Disney Dorks

É sempre excitante quando encontramos algo ou alguém que nos chama a atenção positivamente, e um cão parece ter experienciado exatamente isso durante uma viagem com humanos a um parque da Disney.

Porém o cão Ace, via de regra, não teria o direito de demonstrar alegria e de brincar quando encontrou alguém vestido de Pluto e que o deixou bastante empolgado. Isso porque ele é um cão que está sendo treinado para “trabalhar” – coisa que não deveria ser imposta a animal nenhum. Ele será usado como guia a serviço da empresa Guide Dogs of America. As informações são do The Dodo.

Quando se deparou com o Pluto, ele estava em treinamento externo de socialização com a família que está auxiliando em sua formação para o “trabalho”. A sua reação foi impressionante e, apesar de saber que se não podia se descontrair, ele não conseguiu se controlar.

Foto: Disney Dorks
Foto: Disney Dorks

A tutora temporária também disse não ter conseguido evitar e permitiu que ele “relaxasse” por alguns minutos. “Afinal, não é todo dia que encontramos nossos heróis”, disse a família em tom de brincadeira.

Segundo a reportagem, ele ficou deitado no chão em frente ao Pluto, por alguns minutos, como se estivesse realmente reverenciando o animal.

Porém, ele rapidamente se lembrou do que deveria estar fazendo e voltou a se comportar da maneira que lhe era exigida.

Foto: Facebook/Sandy Steinblum
Foto: Facebook/Sandy Steinblum

Nunca saberemos o que passou pela cabeça do jovem Ace ao ver a réplica de Pluto, mas é fato que a inteligência do animal deve tê-lo levado a entender que se tratava de um cachorro gigante. Seja como for, vê-lo brincando é muito prazeroso, apesar do seu “uniforme”.

Foto: Disney Dorks
Foto: Disney Dorks

Deixando a parte lúdica de lado, esse fato mostra o quanto deve ser difícil a vida de um cão que trabalha como guia de deficientes visuais. Eles são animais cheios de vida, instintos e sentimentos pulsantes, porém são treinados e obrigados a se comportar de modo extremamente rígido e artificial por quase todo o tempo.

São usados e exigidos, e mesmo que seus contratantes – às vezes podendo ser chamado de “tutores” – os amem e os tratem bem, a grande realidade é que eles nunca deixam de ter uma vida de abnegação, na qual quase sempre têm de passar por cima de apegos e emoções tão comuns aos animais de companhia.

Muitos deles servem a pessoas temporariamente e são “trocados” de tempos em tempos, após já terem se apegado ao cliente anterior a quem serviam. Apesar de todo o valor do trabalho desses cães, a vida que lhes é imposta fere os seus direitos e desrespeita a sua natureza.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

TRATAMENTO MÉDICO

PROGRESSO

GANÂNCIA

DESTRUIÇÃO AMBIENTAL

COREIA DO SUL

VEGANISMO

PRESSÃO PÚBLICA

RESILIÊNCIA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>