Cientistas tentam explicar o prazer dos cães em andar de carro


Por Patrícia Tai/ ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Facebook/Tintu-Mon
Foto: Facebook/Tintu-Mon

Jill Layton, repórter do The Dodo, conta que a sua cachorra é tão obcecada em colocar a cabeça para fora da janela do carro que ela praticamente aprendeu a rolar sozinha para junto da janela assim que entra no automóvel.

Com a brisa em seus pelos e a luz do sol em seu focinho, ela parece mais feliz quando um imensa rajada de vento atinge a sua face. E qual é o cão que não aprecia isso?

Segundo Layton, não se trata apenas da brisa.

Ela explica que os cães recebem mais informação olfativa sobre o meio com a cabeça fora do carro do que do lado de dentro, de acordo com Robin Foster, Ph.D. em comportamento animal e professor na Universidade de Puget Sound.

“Quando o ar é forçado para o focinho dos cães, isso intensifica os odores”, disse Foster ao The Dodo. “Se o cão não pode colocar a cabeça para fora, ele passará um bom tempo farejando uma lacuna da janela – provavelmente reunindo informações em tempo real sobre a localização atual”.

Cão Riley, tutelado por Jill Layton, apreciando a paisagem. Foto: Jill Layton
Cão Riley, tutelado por Jill Layton, apreciando a paisagem. Foto: Jill Layton

Foster diz que, baseando-se unicamente no cheiro, os cães podem reconhecer locais familiares e até mesmo formar rotas – algo que os humanos fazem com muita dificuldade se não tiverem um bom “GPS”.

“Por exemplo, para um cão, o ar ao redor de seu parque favorito tem um odor diferente do ar do estacionamento do pet shop?”, pergunta Foster. E ela responde que é claro que sim.

Foto: Flickr/Lulu Hoeller
Foto: Flickr/Lulu Hoeller

Cães também podem estar estimulando todos os seus outros sentidos após terem estado dentro de uma casa um dia inteiro, segundo a Dra. Cathy Meeks, especialista da empresa BluePearl Veterinary Partners.

“É uma experiência altamente estimulante para eles – as fragrâncias, o sentimento do vento, todas as cenas que eles podem ver”, disse Meeks ao The Dodo. “É pelo mesmo motivo que, após ficarmos muito tempo dentro de casa, nos sentimos tão bem quando saímos ou fazemos uma viagem”.

Foto: Facebook/Tintu-Mon
Foto: Facebook/Tintu-Mon

Por outro lado, outros estudiosos acreditam que, para os cães, a demonstração de felicidade ao andar de carro sentindo o vento pode não ter grandes explicações além do fato de ser algo simplesmente prazeroso.

“Em primeiro lugar, eles gostam disso! Simples assim”, declara Kelly Moffat, uma veterinária comportamental e diretora médica do Hospital VCA Mesa Animal, ao VetStreet. “Colocar as suas cabeças para fora da janela faz com que eles se sintam mais perto de todos os fatos excitantes que estão acontecendo do lado de fora”.

Sem querer estragar a diversão, a reportagem lembra que há alguns perigos potenciais envolvidos quando um cão faz isso. Manter apenas parte da janela aberta irá evitar que o cão salte pela mesma ou caia, mas ainda permite que ele fareje todos os aromas.

Também é provavelmente mais seguro não deixar o cão colocar toda a cabeça para fora da janela na estrada. Rajadas de vento em altas velocidades podem causar danos para os olhos e ouvidos dos animais, e pode haver o risco deles serem atingidos por algo como uma pedra ou objeto.

Foto: Facebook/Tintu-Mon
Foto: Facebook/Tintu-Mon

A reportagem finaliza lembrando que, com moderação, é possível possibilitar que o cão vivencie o prazer de passear de carro sentindo o que acontece do lado de fora, porém com segurança, e o bom senso pode ditar de que maneira isso pode ser aplicado em cada caso.

Nota da Redação: Vale lembrar que altas velocidades não são aconselháveis para quem está portando um animal a bordo, mesmo que este não esteja com a cabeça para fora da janela, pelo risco óbvio de acidentes. E também não são aconselháveis para quem não está carregando animais, pois um incidente qualquer pode resultar no atropelamento de um animal que esteja passando do lado de fora do veículo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL

EXEMPLO

AGROPECUÁRIA

POVOS ORIGINÁRIOS

FINAL FELIZ

DOR E SOFRIMENTO

DESUMANIDADE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>