Conteúdo anda

Gatos em situação de rua viram mascotes de hotel

Matilda saiu de um abrigo direto para a recepção de um hotel de luxo em NY. Descrição para deficientes visuais: Gata bem peluda com diferentes tons de cinza está sentada ni balcão de mármore de um hotel. Foto: Divulgação
Matilda saiu de um abrigo direto para a recepção de um hotel de luxo em NY. Descrição para deficientes visuais: Gata bem peluda com diferentes tons de cinza está sentada ni balcão de mármore de um hotel. Foto: Divulgação

Fátima ChuEcco/Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Matilda é a “concierge” ou recepcionista do “Algonquin Hotel Times Square” – um dos hotéis mais luxuosos de Nova York, nos Estados Unidos. Antes dela, outras duas fêmeas e outros sete gatos machos também ocuparam esse cargo. Isso vem acontecendo desde 1930 quando o dono do hotel, Frank Case, acolheu um gato em situação de rua dentro do estabelecimento. Na época o hotel era frequentado pelo avô da atriz Drew Barrymore que apelidou o gato de Hamlet. De lá para cá, todos os demais gatos adotados pelo hotel passaram a se chamar Hamlet ou Matilda dependendo do sexo.

A gatinha do Algonquin Hotel tem até facebook e email próprios. Descrição: Gatinha da foto anterior está deitada num sofá muito elegante marrom com almofadas estampadas. Foto: Divulgação
A gatinha do Algonquin Hotel tem até facebook e email próprios. Descrição: Gatinha da foto anterior está deitada num sofá muito elegante marrom com almofadas estampadas. Foto: Divulgação

No site do hotel há uma seção inteira dedicada as Matildes e a Matilda III, atual, adotada de um abrigo em 2010, faz tanto sucesso que tem até Facebook com 9 mil fãs. Ela tem festas de aniversário e participa de desfiles e outros eventos beneficentes do hotel. Inclusive, ela é tratada como “Cinderela do Hotel Algonquin” e tem seu próprio email, acreditem: matildaalgonquincat@algonquinhotel.com

Fa-Raon e Kleopatre são os gatos do luxuoso Le Bristol Hotel de Paris.  Embora seja um gato de raça. Fa-Raon estava perdido nas proximidades do hotel. Descrição: Dois gatos brancos e peludos, sendo um deles com detalhes amarelados nas patas e rosto, estão sobre mesa e poltrona e hotel. Foto: Divulgação
Fa-Raon e Kleopatre são os gatos do luxuoso Le Bristol Hotel de Paris. Embora seja um gato de raça. Fa-Raon estava perdido nas proximidades do hotel. Descrição: Dois gatos brancos e peludos, sendo um deles com detalhes amarelados nas patas e rosto, estão sobre mesa e poltrona e hotel. Foto: Divulgação

Esse é mais um exemplo inspirador sobre gatos de rua que foram bem-tratados num hotel de luxo. Em recente matéria publicada pela ANDA, outro hotel, o Le Bristol Paris, na França, foi também mostrado como uma história inspiradora. Um casal de gatos virou atração turística e circula por toda parte. A matéria, no entanto, quis mostrar o contraste de um outro hotel em Salvador, na Bahia, onde, segundo denúncia recebida pela ANDA, gatos estariam passando fome em meio à fartura e pedindo comida aos hóspedes.

A matéria tem comovido muita gente e, inclusive, foi compartilhada pela atriz Betty Gofman, uma amante de animais, em seu Facebook.

A atriz Betty Gofman adora animais e compartilhou matéria da ANDA sobre os gatos do hotel da Bahia. Descrição: Moça loira de cabelos encaracolados e olhos azuis está de pé sorrindo e abraçando um cachorro branco. Foto: Divulgação
A atriz Betty Gofman adora animais e compartilhou matéria da ANDA sobre os gatos do hotel da Bahia. Descrição: Moça loira de cabelos encaracolados e olhos azuis está de pé sorrindo e abraçando um cachorro branco. Foto: Divulgação

O caso já está sendo investigado pelo Ministério Público da Bahia e a matéria publicada na ANDA também já foi entregue à diretoria do empreendimento. O que se espera é que seja feito um trabalho de CED – Captura, Esterilização e Devolução dos felinos ao local – uma prática muito comum em vários países para controle de colônias de gatos. Embora o hotel não seja obrigado a acolher animais, pode ter uma atitude ética e sensata com relação aos animais dos arredores, o que reflete automaticamente em sua reputação. Como mostrado acima, em alguns casos, acolher animais pode resultar numa atração extra para os hotéis. O que não pode ser feito é a contratação de dedetizadora para capturar os felinos. Dedetizadoras só podem controlar pragas e vetores e os gatos não se encaixam nessas categorias. Além do mais, dedetizadoras não possuem técnica nem equipamento adequado para esse tipo de trabalho.

*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui