Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

Dezenas de ativistas reuniram-se no dia 25 de dezembro durante a abertura do tradicional Festival de Zapote, em San José, na Costa Rica, para protestar contra a principal atração do evento: a tourada. As informações são do Tico Times.

Os manifestantes posicionaram-se em frente aos boxes dos organizadores da tourada portando cartazes e banners com mensagens sobre o sofrimento dos touros que acontece antes, durante e depois das lutas.

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

O maior diferencial do protesto, no entanto, foi uma performance que simulava a marcação do gado com ferro quente.

O protesto foi organizado por cinco grupos que se identificam sob o nome “Grupo Coordenado para Libertação Animal”, segundo contou um dos membros, Andrea Brizuela. Ela explicou que os grupos vêm se juntando nos últimos quatro anos para encenar protestos similares contra touradas, contra a Parada Nacional de Cavalos, rodeios e zoológicos.

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

O pequeno mas expressivo grupo entregou panfletos descrevendo o abuso e o sofrimento dos touros desde o momento em que são levados das fazendas, até o processo inteiro das touradas.

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

“Esses touros crescem em campos abertos e então de repente são espremidos juntos na carroceria de um caminhão, onde não recebem comida ou água. Eles urinam e defecam uns nos outros, e viajam expostos ao sol por horas e horas”, relatou Brizuela.

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

“Em seguida, eles são jogados em celeiros escuros sob praças, onde recebem choques elétricos para que fiquem agressivos, antes de serem enviados para a arena na qual centenas de pessoas gritam e batem neles. Quando eles estão cansados e retornam para os celeiros, são pegos pelos chifres, que muitas vezes até se quebram”, acrescentou ela.

O grupo estará protestando novamente em frente à arena do Zapote, no dia 3 de janeiro.

Foto: L.Arias/Tico Times
Foto: L.Arias/Tico Times

1 COMENTÁRIO

  1. Parabéns, irmãos ativistas, animais continuam sendo torturados, brutalizados e mortos por humanos covardes mas vocês não desistem deles porque muito mais do que acreditar no ideal que escolheram defender, vocês vão à luta por ele, com a garra e a coragem dos que abrem caminhos novos com suor e lágrimas, porque nasceram com o DNA da ética, da compaixão e do amor incondicional pelos desprotegidos e explorados e se vocês já ouviram isso antes, podem acreditar, vocês são a melhor parte da espécie humana, a mais pura e limpa, a mais legítima e verdadeira em quem nós apostamos todas as fichas.