Rio de janeiro

Acadêmicos do Salgueiro solta pombos durante ensaio e animais são pisoteados até a morte

pombo

Os pombos que a Acadêmicos do Salgueiro soltou durante o ensaio técnico da agremiação no domingo (24), no Sambódromo, custará caro a escola tijucana. Isso porque das 68 aves que foram libertadas pelo Salgueiro na abertura de seu desfile, 48 morreram pisoteadas. As que foram resgatadas e sobreviveram estão machucadas, com as asas feridas.

Paulo Maia, presidente da ONG SOS Aves e Cia disse que notificou nesta sexta-feira (29), a escola por crime ambiental. Segundo Paulo, o pombo é uma ave protegida pelo IBAMA que considera crime matar, apreender ou maltratar as aves. “Os pombos soltos pelo Salgueiro são aves criadas em cativeiro, que não sabem procurar comida pois são alimentadas pelo homem. Ao soltarem as 68 aves no Sambódromo, eles deixaram os pombos desnorteados em um local poluído sonoramente. Elas caíram no chão e muitas foram pisoteadas, morrendo. As que conseguimos salvar machucaram as asas”, contou Paulo.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Segundo presidente da ONG, será aberto pelo Ministério Público um inquérito processando o Salgueiro por crime ambiental. A pena pode variar de 1 ano de detenção mais multa. “Será investigado quem foi o responsável por levar os animais para o desfile e ele será punido. Não pode chegar um ambiente e soltar o pombo.”, disse Paulo Maia.

As aves que sobreviveram estão sendo cuidadas na sede da ONG em Saquarema, na Região dos Lagos no Rio. Ao EGO, a assessoria de imprensa do Salgueiro disse o seguinte: “Nosso jurídico está cuidando disso. A agremiação não vai se pronunciar.”

Fonte: Ego

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui