Especialista dá dicas sobre as melhores formas de viajar com animais


dicas-viagem-animais
Divulgação

Nas férias, muitas pessoas aproveitam a oportunidade para viajar com os animais domésticos. Mas, o que pode ser uma grande diversão, também pode se tornar um pesadelo, caso os devidos cuidados não sejam tomados. O coordenador do Hospital Veterinário da Faculdade Anhanguera de Anápolis, Arthur Francisco Júnior, alerta que o primeiro cuidado é a emissão de um documento atestando as boas condições de saúde do animal pelo Médico Veterinário. “A vacinação antirrábica para cães e gatos acima de 90 dias deverá estar atualizada, assim como a vacina polivalente e vermifugação para cães e gatos acima de 30 dias de vida”, afirma.

Antes da viagem, o docente explica que, se houver necessidade, o animal pode ser sedado. Procedimentos que produzam estresse ou desgaste no animal, como prender suas patas durante a viagem, são proibidos. “Em viagens longas de carro ou ônibus, o animal deve sair do veículo durante as paradas para descanso. Ele poderá se alimentar, porém as refeições deverão ser feitas com menor quantidade de comida”. O professor detalha os cuidados com os três meios de transporte:

Ônibus e Avião
O animal deverá ficar em uma caixa de transporte adequada ao seu tamanho. O ideal é que, dentro da caixa, ele consiga ficar em pé e, se possível, mudar de posição com conforto. A caixa deverá ser de material resistente e rígido (fibra de vidro ou similar), com ventilação e de fácil higienização. Para viagens de avião, algumas empresas recomendam que venham equipadas com reservatório de água e comida.

Durante o transporte no ônibus, o animal poderá ser retirado da caixa durante as paradas e fora do veículo. O tutor deverá ficar atento com as normas de cada empresa sobre a possibilidade do animal acompanhá-lo dentro do veículo/cabine de passageiros, e outras particularidades, como a raça e o limite de peso do animal a ser transportado.

As empresas rodoviárias geralmente estipulam um peso máximo de 10kg. No entanto, as empresas aeroviárias domésticas transportam animais até 30kg e aqueles com peso acima deste peso, devem ser transportados por aviões de carga.

Geralmente, os cães e gatos considerados braquicefálicos (focinhos achatados) são proibidos. Estas raças possuem como características alterações anatômicas que provocam dificuldades respiratórias. Para viagens internacionais, o tutor deverá verificar a existência de normas específicas para cada país.

Carro
Para transporte em carro, o animal poderá permanecer em uma caixa de transporte, usar uma cadeira específica para este fim ou usar um cinto de segurança específico atado ao cinto de segurança do carro. É proibido transportar o animal entre o banco do motorista e o banco do passageiro, ou entre o banco e a porta, tampouco no colo do motorista.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO

COREIA DO SUL

SOB INVESTIGAÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>