Direitos dos grandes primatas - dr. pedro a. ynterian

Chimpanzés: o drama Norte-Americano

Com a determinação do NIH – Instituto Nacional de Saúde Norte-Americano – de aposentar todos os chimpanzés que lhe pertencem e que estão distribuídos em várias instituições de pesquisa biomédica,...

135

28/12/2015 às 14:40
Por Redação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.
Photo by Shelby Knowles (www.texastribune.org)

Photo by Shelby Knowles (www.texastribune.org)

Com a determinação do NIH – Instituto Nacional de Saúde Norte-Americano – de aposentar todos os chimpanzés que lhe pertencem e que estão distribuídos em várias instituições de pesquisa biomédica, que foram centros de tortura para estes infelizes por mais de 50 anos, um dilema se debate publicamente, típico de um país capitalista ao extremo.

Na Faculdade de Veterinária da Universidade do Texas, associada ao Centro de Câncer de Anderson, agora batizado como Keeling Center for Comparative Medicine and Research, dezenas de chimpanzés aguardam impacientes seu traslado para um Santuário, onde ficarão para sempre afastados de agulhas, bisturis, anestésicos e remédios pesados de todos os tipos.

Existe praticamente só um Santuário oficial nos Estados Unidos – o Chimp Haven – em Luisiana, onde os chimpanzés podem desfrutar de uma vida mais similar ao seu habitat, ao ar livre e onde nunca uma tortura médica será praticada.

As dezenas de chimpanzés que até 2012 foram submetidas a tratamentos experimentais contra HIV, Hepatite, Diabetes e dezenas de outras doenças – tratamentos estes que em nada resultaram, somente a dor e a morte de muitos deles e a deterioração de sua saúde, fazendo com que pareçam anciões aos 35 anos de idade – são uma fonte de renda para o Instituto do Centro Anderson, que cobra 57 dólares por dia para manutenção de cada primata do NIH.

Como o NIH não tem provisionado as verbas necessárias para expandir o Chimp Haven, como era seu compromisso, a fim de receber os mais de 200 primatas que aguardam o traslado, a Faculdade de Veterinária, perto de Bastrop, no Estado do Texas, dona das instalações onde ficam os chimpanzés agora aposentados, com centenas de outros macacos – estes ainda ativos e gerando renda por seu uso médico – propõe que o Instituto Keeling seja classificado como um Santuário, e os chimpanzés fiquem lá, onde têm vivido toda uma vida.

Quando nós estivemos em Bastrop, mais de 10 anos atrás, estavam construindo grandes gaiolas, tipo domos de metal, à prova de fugas, que reduzia muito o espaço de movimento dos chimpanzés e praticamente não lhe davam alternativa a uma vida mais própria do seu habitat, como um Santuário permite.

Christian Abee, Diretor do Instituto Keeler, denunciou que o perigo de morte dos chimpanzés se trasladados a um ambiente diferente é grande, e dos últimos 12 transferidos, quatro foram eutanasiados ou morreram no Santuário de Chimp Haven, após poucas semanas de sua chegada.

O pessoal do Texas alega que os chimpanzés são anciãos, ou geriatras, já que passam de 35 anos. Na maioria, porém, a causa da saúde debilitada na realidade não é a idade, já que um chimpanzé de 35 anos bem tratado está, como um humano, no meio da vida. Os motivos da saúde debilitada são as torturas as quais foram submetidos e que fragilizaram seus corpos, que podem morrer de qualquer contaminação ou alteração do ambiente.

A dívida que o NIH e o Governo Norte-Americano têm com a espécie Pan(Homo) troglodytes é imensa. O mínimo que devem fazer é provisionar os fundos necessários – não mais de 5 a 10 milhões de dólares, que são uma gota de água no oceano dos gastos do Tesouro Norte-Americano, para expandir o Chimp Haven rapidamente, para receber todos os aposentados. Só com a poupança que será feita de não ter que pagar 57 dólares por dia, por chimpanzé, este pequeno investimento será pago, e os torturadores dos mesmos não terão nunca mais a possibilidade de colocar suas mãos enluvadas e ensanguentadas nos corpos inermes destes inocentes.

O GOVERNO OBAMA TEM A PALAVRA!

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.