Homem compra tartarugas que seriam mortas para consumo e as devolve ao mar


Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Facebook/Arron Culling
Foto: Facebook/Arron Culling
Arrancadas do oceano para serem vendidas para consumo humano, duas tartarugas marinhas de Papua Nova Guiné encarariam a morte certa. Mas graças à compaixão de um homem, elas encontraram o caminho de volta para casa. As informações são do The Dodo.
Por menos de 50 dólares, Arron Culling e um colega de trabalho compraram a liberdade das duas, e posteriormente postaram fotos do resgate improvisado nas redes sociais.
“Encontramos esses animais no mercado local”, escreveu Culling no Facebook. “Compramos-lhes por 50 dólares e dirigimos 5 km até o oceano e as devolvemos ao mar”.
Foto: Facebook/Arron Culling
Foto: Facebook/Arron Culling
Essas não são as primeiras tartarugas que o homem libertaram. Segundo Culling, ele e seu colega compraram e soltaram cerca de 10.
Foto: Facebook/Arron Culling
Foto: Facebook/Arron Culling
Embora seis das sete espécies de tartarugas do mundo sejam sejam classificadas como ameaçadas ou vulneráveis, a captura de tartarugas marinhas continua legal na maior parte dos países. Isso inclui Papua Nova Guiné, Austrália e México, onde as comunidades costeiras caçam tartarugas por sua carne e cascos.
De acordo com uma estimativa recente, mais de 42.000 tartarugas marinhas são caçadas a cada ano, e outras centenas de milhares morrem “por engano”, presas em redes de pesca comercial que são lançadas com o objetivo de pegar outros animais.
Foto: Facebook/Arron Culling
Foto: Facebook/Arron Culling

*É permitida a reprodução total ou parcial desta matéria desde que citada a fonte ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais com o link. Assim você valoriza o trabalho da equipe ANDA formada por jornalistas e profissionais de diversas áreas engajados na causa animal e contribui para um mundo melhor e mais justo.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

CRUELDADE

TECNOLOGIA

DESUMANIDADE

ACOLHIMENTO

EFICIÊNCIA

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>