Conteúdo anda

Dez dicas para quem quer aderir ao veganismo

Por Erica Bonelli (Tradução: Neuza Vollet/ ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Foto: Pixabay
Foto: Pixabay

Se você já pensou alguma vez em se tornar vegano, pode ter se confrontado com um território desconhecido de preparações sem carne. Em outubro, mês da conscientização vegetariana, alguns dos melhores chefs veganos de Washington deram dicas e conselhos úteis para você que tem vontade de se aventurar nessa cozinha.

1.Faça a transição devagar
Começar um estilo de vida vegano lentamente e sem complicação é uma das dicas mais importantes dadas pelos chefes e proprietários de restaurantes. Parar de vez com um hábito pode parecer uma boa ideia no início, mas é quase sempre insustentável quando você começa a desejar os produtos cortados. Ellen Gray, coproprietária do restaurante Equinox em Washington, sugere tirar um dia da semana para comer comida vegana, seguindo a tendência da Segunda sem Carne, e lentamente ir adicionando mais dias se for o caso.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

2. Eduque-se
Educar-se também é de vital importância quando se trata de seguir uma dieta vegana. Você precisa aprender a substituir os produtos que está cortando, senão vai viver numa ansiedade constante e é possível que acabe se privando dos nutrientes essenciais de que seu corpo necessita. De acordo com Gray, cercar-se de variados livros de receitas veganas é o melhor começo. A leitura sobre o assunto e a preparação das receitas ajudam a tornar a transição mais espontânea. Gray recomenda o guia para dietas veganas e vegetarianas publicado pelo Comitê de Médicos por uma Medicina Responsável (PCRM), que oferece dicas estimulantes, como a receita vegana da semana ou o pontapé inicial dos vinte e um dias veganos. Também existem vários livros de receitas veganas especialmente para universitários, como o Vegan College Book, da PETA.

3. Faça experiências com os temperos
Temperar os pratos veganos é importante para realçar o sabor que essas refeições são acusadas de não ter. Os chefs do DC Vegan sugerem experiências com temperos incomuns que possam adicionar complexidade e profundidade a qualquer prato. É verdade que as ervas frescas são em geral mais aromáticas e saborosas, mas ter à mão ervas desidratadas facilita muito no dia a dia. Algumas das ervas aromáticas frescas básicas que ajudam a dar realce a suas refeições são manjericão, orégano, tomilho, endro, salsinha, louro, alecrim e sálvia. Os temperos que trazem mais estímulo e sabor incluem o alho e cebola em pó, páprica, pimenta, cúrcuma, noz-moscada, canela e gengibre. Para o preparo de pratos diferentes procure a seção de temperos do supermercado ou visite uma loja especializada.

4. Não corte os doces
Às vezes as pessoas esquecem que se tornar vegano não tem nada a ver com eliminar as doçuras da vida. A maioria das sobremesas tradicionais podem ser replicadas e ainda assim ter um gosto tão surpreendente como as que são feitas com produtos animais. O proprietário Zoheret Coats, do restaurante Zoe´s Vegan Delights, em Washington, adverte que sejam quais forem suas escolhas dietéticas, as pessoas sempre anseiam pelos doces, por isso é tão importante tê-los à mão para evitar a compulsão alimentar. Você encontra muitos guias online ensinando a substituir os produtos comuns de confeitaria por produtos veganos. Seguem os mais populares:

Ovos
Substitua 1 ovo por 1 colher de sopa de semente de linhaça e 3 colheres de sopa de água. Misture bem e espere até ficar com a consistência de gelatina.

Manteiga
Substitua por azeite de oliva, óleo de coco ou óleo de canola.

Leite
Substitua o leite de vaca pelo leite de soja, de amêndoas, de coco ou de arroz. O leite de soja e o de coco são ideais para sobremesas mais saborosas.

Leitelho
Substitua 1 copo de leitelho (soro de leite coalhado) por 1 copo de leite de soja sem adição de açúcar e 2 colheres de sopa de suco de limão ou vinagre. Misture os ingredientes e bata até obter uma mistura cremosa.

Mel
Substitua por xarope de bordo (maple syrup), xarope de arroz ou agave.

5. Dê destaque aos vegetais
A melhor forma de fazer refeições substanciais, mas também gostosas, é tornar os vegetais as estrelas dos seus pratos. Os chefs do DC Vegan sugerem manipular os vegetais para imitar os clássicos pratos com carne, como búrguer de beterraba, por exemplo. Coats também sugere fazer pratos com arroz e macarrão integrais ou quinoa com vegetais variados. Esses pratos são ricos em proteínas, cereais integrais e também em nutrientes e fibras dos vegetais. Para adicionar coberturas crocantes aos pratos, tente usar sementes de abóbora salgadas e tostadas. Os vegetais mais ricos em água satisfazem mais.

6. Seja flexível
Não seja rigoroso demais com você no início, mesmo que esteja apenas tentando um único prato. Os proprietários dos restaurantes são unânimes em dizer que o processo se resume a tentar coisas novas e fazer aquilo que você gosta de comer. É muito importante encontrar um equilíbrio que funcione para você.

7. Avalie você mesmo
Durante a experiência, observe com atenção os sinais enviados pelo seu corpo e o estado de sua saúde. Faça uma avaliação de como se sente após uma refeição ou dieta vegana. Se estiver bem, continue tentando. Entretanto, diz Coats, se estiver cansado ou se continuar com fome, é possível que não esteja ingerindo todos os nutrientes de que precisa. Se o seu estômago continua roncando, tente adicionar mais grãos, que são ricos em proteína.

8. Simplifique
Preparar refeições veganas não precisa ser complicado ou caro. Gray conta que para fazer burritos de modo rápido e fácil, ela tem sempre à mão tortilhas de milho, feijões e molho apimentado, coisas que são fáceis de encontrar em qualquer mercadinho por um preço baixo. Tenha em estoque produtos básicos veganos, como feijões, grãos, frutas desidratadas, nozes e vegetais.

9. Coma fora
Se você não tem tempo ou força de vontade para preparar a comida vegana, não se esqueça de que existem restaurantes vegetarianos e veganos com uma alimentação saudável e variada.

10. Não desista
O mais importante de tudo, dizem os chefs, é não desistir. Se der uma escorregada, continue tentando. “É plantar e colher”, afirma Coats. Mesmo pequenos passos trazem benefícios para sua saúde.

1 COMENTÁRIO

  1. Estou imprimindo este artigo e repassarei para alunos de escolas aonde dou algumas palestras.Manterei a fonte ANDA, bem como a jornalista que escreveu. Obrigado Sras bela bela contribuição.

  2. Como sermpre, os artigos veganos são direcionados a quem mora nas grandes metrópoles. Restaurantes veganos são raros no Brasil Não achamos nem mesmo os vegetarianos nas cidades menores. Nao achamos pápripa, nem cúrcuma. Agave? Nem nunca ouviram falar. Quando achamos alguma coisa vem com preço astronômico. Raramente achamos vegetais orgânicos. Mesmo assim eu tenho uma dieta quase totalmente vegana. Outro engano e recomendarem o que nada tem a ver em matéria de paladar. Pode ser saudável, mas com outro sabor, então nem pensar em colocar linhaça no lugar de ovos. Não funciona.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui