Governador de Washington toma decisão a favor dos pumas do seu estado


(da Redação)

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Em uma vitória para os carnívoros nativos dos Estados Unidos, o governador de Washington Jay Inslee deu um passo no sentido de proteger os pumas do estado. Inslee reverteu um movimento feito pelas autoridades estaduais que iria aumentar dramaticamente o número de pumas que poderiam ser mortos por caçadores. As informações são da Care2.

Na última primavera, a Comissão de Vida Selvagem elevou em 16 por cento o número de pumas que poderiam ser mortos, mas adicionou uma emenda no último minuto que deveria aumentá-lo ainda mais em áreas com presença confirmada de matilhas de lobos, que são protegidos de serem caçados no estado.

Durante o verão, oito organizações de defesa dos animais e da vida selvagem, unidas por um ex pesquisador do Departamento de Caça e Pesca de Washington, criaram uma petição demandando que a comissão revertesse a sua decisão, porém não tiveram sucesso. Em setembro, eles interpuseram um recurso junto ao governador.

“Isso não é somente sobre o gerenciamento de pumas, e também não diz respeito a segurança pública”, disse Jean Paul, diretor da Humane Society dos Estados Unidos em Washington, em Julho. “Nós já temos a habilidade de cuidar de  ‘felinos problema’. Parece que estão alvejando os felinos como uma forma de contentar companheiros que querem atirar em lobos”.

Infelizmente, para aqueles que anseiam por remover os pumas de seu local natural no meio, como outros predadores frequentemente mirados nesse sentido, matar mais em uma tentativa de reduzir conflitos somente termina em frustração e acaba causando mais problemas.

De acordo com o Centro de Diversidade Biológica, “a decisão da comissão também ignorou um estudo feito em Washington há 13 anos que custou cerca de 5 milhões de dólares aos contribuintes. O estudo mostrou que matar pumas em níveis tão elevados poderia exacerbar conflitos com pessoas e com o gado, e não ajudaria a prevenir futuros ataques de pumas ou deixar as pessoas mais seguras”.

Conforme Paul explicou, remover mais machos adultos territoriais, que são frequentemente procurados por caçadores, abre áreas para machos mais jovens e inexperientes se moverem, mas são exatamente eles que irão causar mais problemas.

Os grupos também argumentaram que o movimento foi feito em violação de uma lei estadual que supostamente iria assegurar ao governo a promulgação de uma lei que era diferente da que havia sido apresentada ao público.

Neste mês, o governador alinhou-se com os defensores dos pumas. Em uma carta, ele disse que a comissão agiu impropriamente ao implementar uma regra que era “substancialmente diferente” da que foi proposta, sem dar ao público a oportunidade de participar da decisão.

O governador não só reverteu o aumento, mas também acrescentou que está agora direcionando a comissão a abrir um período de discussão pública aberta sobre a proposta alterada, “de modo que os cidadãos tenham uma oportunidade significativa de participar nas decisões de seu governo”.

“Esta é uma vitória para os pumas de Washington, e da boa ciência e do governo aberto”, disse Collette Adkins, uma advogada do Centro de Diversidade Biológica. “A Comissão de Vida Selvagem decidiu matar mais pumas, ignorando o público e os cientistas. Essa decisão irrefletida precisou ser revertida, e nós estamos contentes com o fato do governador ter concordado conosco”.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RÚSSIA

FINAL FELIZ

CRUELDADE

CRISE ECONÔMICA

SINERGIA

MAUS-TRATOS

MAUS-TRATOS

PROTEÇÃO ANIMAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>