Dez baleias encalham em praia na França


Cerca de 800 pessoas juntaram-se na praia para ver as operações de socorro  | Epa / Laurent Dubrule
Cerca de 800 pessoas juntaram-se na praia para ver as operações de socorro | Epa / Laurent Dubrule

Dez baleias foram encontradas esta manhã encalhadas na praia de Calais, no norte de França. Seis dos animais, os de maiores dimensões, entre eles um macho de cinco metros de comprimento, morreram antes das equipas de socorro terem chegado, mas quatro estavam ainda vivos e foi possível proceder a operações para os colocar de novo no mar.

Com recurso a um camião-cisterna foi possível manter os animais, identificados como baleias-piloto, hidratados. Mais de 800 pessoas juntaram-se na praia para assistir aos trabalhos, que permitiram, em cerca de duas horas, devolver às águas os animais.

Segundo Jacky Karpouzopoulos, do centro de pesquisa de mamíferos e aves marinhos Pelagis, citado pelo jornal La Voix du Nord, os animais faziam todos parte de uma mesma família. “A hipótese mais provável é que o macho dominante tenha morrido no mar e que o resto da família o tenha acompanhado até à costa”, afirmou, sem descartar, contudo, a possibilidade de o grupo se ter desorientado devido à neblina ou a uma eventual colisão com um barco.

As seis baleias mortas serão autopsiadas na universidade de Liège e em Calais.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: DN


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

VIDAS PERDIDAS

DEDICAÇÃO

SOFRIMENTO EMOCIONAL

DOÇURA

AÇÃO HUMANA

JAPÃO

FINAL FELIZ

POLUIÇÃO SONORA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>