A pegada ecológica do consumo de carne

silvana
September 28, 2015

Redação ANDA – Agência de Notícias de Direitos Animais

Divulgação
Divulgação

Mark Hawthorne é um ativista vegano e o autor de três livros sobre direitos animais, incluindo o prestes a ser publicado “A Vegan Ethic”. Confira abaixo a entrevista que Mark deu ao Huffington Post sobre o papel da agricultura animal nas mudanças climáticas, e se mudar nossas dietas pode ou não ajudar a salvar o planeta.

Eu já ouvi que a indústria carne, derivados do leite, e outros produtos animais são responsáveis por uma grande proporção dos gases de efeito estufa. Quais são os números mais exatos?

M.H.: Houveram vários grandes estudos nos anos recentes, e os dados diferem. Um relatório de 2006 das Nações Unidas é o mais frequentemente citado, e identificou a produção de comidas à base de animais como sendo responsáveis por 18% dos gases de efeito estufa – mais do que todo o dióxido de carbono expelido pelos automóveis, barcos, aviões e trens do mundo combinados. De acordo com o estudo, a emissão desses gases vinda da agricultura animal é na forma de metano, que tem 86 vezes mais potencial de mudanças climáticas que o dióxido de carbono, e óxido nitroso, que tem 286 vezes mais esse potencial. Então um relatório de 2009 da Worldwatch Institute declarou que quando o ciclo de vida e cadeia de mantimentos inteiros da indústria é levada em consideração, a emissão anual de gases de efeito estufa da agricultura animal é responsável por, na verdade, 51%. Os autores desse relatório recomendam que as pessoas consumam alimentos vegetais em vez de carne, ovos, e derivados do leite. Esse ano, as Nações Unidas lançaram outro relatório, “Avaliando os Impactos Ambientais de Consumo e Produção,” na qual também estimulam uma “mudança substancial de dieta mundial, longe de produtos animais” como forma de ajudar a frear as mudanças climáticas.

Dada essa realidade, como os veganos estão argumentando para a redução do impacto de consumir carne e produtos animais?

Veganos, como você pode imaginar, estão há muito tempo defendendo uma dieta à base de vegetais como uma forma de ajudar o planeta, e a conferência das Nações Unidas em Paris é uma ótima oportunidade de promover os benefícios ambientais do veganismo. Há um número de campanhas ativas na França nesse momento. Houveram exibições do documentário Cowspiracy por alguns meses, por exemplo, e o grupo L21 Ethique et Animale está patrocinando um pôster anti-carne no metrô de Paris. O título do pôster diz, “Como você prefere o planeta – azul ou ensanguentado?” E bem em tempo para as discussões climáticas, a Sociedade Vegana lançou um relatório chamado “Grow Green” que detalha porque fazendeiros deveriam transitar de agricultura animal para vegetal; o relatório está sendo distribuído para legisladores e outras pessoas que podem fazer uma diferença.

Existem “vitórias fáceis” de um ponto de vista vegano – práticas de dietas animais que podem ser facilmente reduzidas para maiores reduções nos gases de efeito estufa?

Em 2014, a revista Climate Change publicou um estudo perspicaz comparando as pegadas de carbono de consumidores de carne, vegetarianos, e veganos. Descobriram que, em média, grandes consumidores de carne (aqueles que consomem mais de 100g por dia, o que define a maioria dos adultos nos EUA) produzem 7.26kg de poluição de dióxido de carbono por dia; pequenos consumidores de carne (menos de 50g por dia) produzem 4.67kg; vegetarianos produzem 3.85kg, e veganos são responsáveis por apenas 2.94kg por dia. Então claramente, mudar para uma dieta vegana tem um potencial enorme de impactar a mudança climática. Uma “vitória fácil”, da perspectiva vegana, é parar de comer animais. Melhor para a sua saúde, melhor para os animais, e melhor para o planeta.

Paris é famosa por sua dieta rica em carne e queijo. Poderiam os habitantes de uma cidade assim virarem veganos?

Absolutamente. Parisianos amam comida boa, ponto. Verdade, há uma “tradição” de comer animais, mas isso é um hábito, e hábitos podem ser mudados. A mudança vem quando as pessoas se dão conta de que podem ter comida deliciosa e satisfatória que não contém carne, ovos ou leite. É a textura e temperos de que as pessoas gostam, não dos ingredientes animais. Se livrar de hábitos antigos e abraçar uma dieta vegana significa aprender a cozinhar com comidas vegetais frescas e gradualmente tirando a carne do seu prato em favor de verduras, grãos, legumes, frutas e nozes. Para aqueles que sentem vontade de carne e queijo, há milhares de carnes e queijos à base de vegetais que são incrivelmente gostosos. Sério. Eles evoluíram muito nos últimos anos. Além disso, restaurantes veganos estão se tornando mais e mais populares na cidade.

Que conselho você pode dar à indivíduos procurando reduzir sua pegada ecológica que não são familiares e não se sentem prontos para um estilo de vida completamente vegano?

Bom, em primeiro lugar lembre-se de que não há nada mais natural do que uma dieta vegana. É a fundação para nutrição ao redor do mundo – de feijão e arroz para soja e verduras. Então não é um estilo de vida estranho para ser considerado com ansiedade. Para transitar para uma dieta vegana, faça pequenas mudanças. Gradualmente substitua comidas animais em suas refeições para vegetais. Alguns alimentos, como leite de vaca e sorvete, são facilmente substituídos com alternativas como leite de soja, arroz ou nozes. Substitua a carne das refeições com verduras, legumes e grãos ricos em proteínas, como couve, brócolis, espinafre, batata, feijão, lentilha, arroz e quinoa. Se você está realmente com vontade do gosto da carne, experimente uma das várias substituições comerciais, como almôndegas vegetarianas  ou algo da Tofurky, por exemplo. Essas chamadas “imitações de carne” geralmente contém muito sódio, mas são deliciosos e satisfatórios para uma refeição ocasional. E em vez de ir atrás de um doce com leite ou whey, pegue uma maça ou uma laranja, que irá te satisfazer sem te dar um episódio de hipoglicemia uma hora depois. Logo você terá eliminado os animais da sua dieta. A ideia é se satisfazer com escolhas mais saudáveis primeiro para que quando você tenha dado ao seu corpo nutrientes essenciais de verduras, legumes, e frutas, você não terá apetite para comidas não saudáveis. À medida que você elimina os alimentos de origem animal e consome mais comidas veganas e saudáveis, você se sentirá satisfeito e irá sentir menos e menos vontade de comidas não saudáveis. A variedade de comidas na sua dieta deve expandir em vez de encolher.


Você viu?

Em busca de companhias,

Fonte: g1.globo.com Uma das

Pixabay Aproximadamente 50 ativistas

Grupo de guardas ambientais

Foto: Reprodução Youtube /

Reprodução/Instagram/@osindefesos Três cachorros tiveram

The Dodo Onyx e

Foto: Reprodução/GRAD A destruição

Foto: Pixabay A tradição

Notícias | Você é o repórter | Histórias felizes | De olho no planeta


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

__CONFIG_colors_palette__{"active_palette":0,"config":{"colors":{"cf6ff":{"name":"Main Color","parent":-1},"73c8d":{"name":"Dark Accent","parent":"cf6ff"}},"gradients":[]},"palettes":[{"name":"Default","value":{"colors":{"cf6ff":{"val":"rgb(243, 243, 243)","hsl":{"h":0,"s":0.01,"l":0.95}},"73c8d":{"val":"rgb(217, 216, 216)","hsl_parent_dependency":{"h":1,"l":0.85,"s":-0.05}}},"gradients":[]}}]}__CONFIG_colors_palette__
OK
>