Caçador que matou jaguar no Equador é condenado a seis meses de prisão


Divulgação
Divulgação

O Ministério do Ambiente equatoriano informou hoje que o caçador colocou uma fotografia do animal morto na rede social Facebook.

O homem, identificado como Luis Alfredo O., admitiu ter “alvejado e matado o jaguar, levando-o para a sua casa e distribuído a carne aos vizinhos”.

O governo do Equador em 2008 impôs uma legislação estrita para proteger espécies protegidas, incluindo o jaguar.

A pele do animal foi confiscada pelas autoridades.

Inicialmente, um tribunal tinha imposto uma pena de 10 dias em prisão para o caçador, mas os dirigentes do Ambiente recorreram com sucesso.

“Conseguimos uma sentença maior para a pessoa responsável pela morte intencional de um animal que está em vias de extinção”, adiantou fonte ministerial.

A morte do leão Cecil, um animal com um estatuto de proteção, morto por um dentista dos EUA que participava numa expedição de caça, suscitou uma onda de indignação internacional.

O Zimbábue solicitou aos EUA a extradição do caçador, Walter Palmer, de 55 anos, para ser julgado pela caçada de julho.

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Notícias ao Minuto


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

NOVOS LARES

RIO CLARO (SP)

EXTINÇÃO

VISIBILIDADE

CANADÁ

ABRAÇO ANIMAL

DENÚNCIA

JAPÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>