'Bolinha' elimina 14 kg e ONG faz campanha para continuar tratamento


Divulgação
‘Bolinha’ perdeu 14 kg e ONG pediu doação para continuar tratamento (Foto: Nill Vianna/Arquivo pessoal/Divulgação PAM Pet)

O cão Bolinha precisa de doações para continuar o tratamento contra a obesidade. Ele já eliminou 14 kg com dieta e exercícios. A OPA-MT (Organização de Proteção Animal), responsável pelo animal, já pagou R$ 8 mil e ainda precisa pagar pelo menos mais R$ 1,5 mil à clínica particular em Cuiabá na qual o cão, que foi resgatado há quase um ano, em Mato Grosso por uma organização não-governamental está internado.

Caso não consiga mais ajuda financeira, o cachorro – que ainda precisa perder mais 7 kg, deverá ser retirado do local.

“Tudo que foi pago até agora foi com doações. Vai fazer um ano que ele está lá e faz tempo que não recebemos doações. A ração especial dele ganhamos da distribuidora que revende. Lançamos uma vaquinha pra ele, mas não está tendo doação. O dinheiro que temos da vaquinha anterior deve dar só para mais um mês”, disse Michelle Scopel, da OPA-MT.

Bolinha chegou à clínica com 36,5 kg e atualmente está com 22,3 kg. A redução do peso veio graças às sessões na esteira aquática quatro vezes por semana e à alimentação regrada, com ração para cães obesos. Bem diferente do tempo em que ele vivia numa lanchonete de beira de estrada, comendo restos de lanches e salgados.

Antes de ser resgatado, Bolinha tinha dificuldades para respirar e se locomover, problemas que foram resolvidos graças ao tratamento. A meta de peso estipulada pelos médicos veterinários é que o cão chegue aos 15 kg. Depois, deverá passar por cirurgia para remoção de pele.

História

Bolinha era o ‘mascote’ de uma lanchonete de um posto de combustíveis na BR-364, entre as cidades de Tangará da Serra e Campo Novo do Parecis. Abandonado no local ainda filhote, há aproximadamente de 13 anos, ele começou a engordar após comer restos de comida deixados tanto pelos frequentado pelos consumidores quanto pelos donos do local.

O animal vivia entre entulhos e lixo, e bebia água suja. Ele foi resgatado depois que a situação do vira-lata foi relatada pelo internauta Nill Vianna, por meio da ferramenta VC no G1. Após publicação de uma matéria contando o caso, Bolinha foi resgatado e começou tratamento com acompanhamento médico.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

INSPIRAÇÃO

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>