Enchentes: um plano para salvar animais


A repercussão causada pela morte de Cecil, leão-símbolo do Zimbábue, morto por um caçador sem escrúpulos, leva-nos à conclusão de que a sorte dos animais passou a ocupar um lugar de destaque na sociedade. As pessoas não suportam mais ver animais sendo maltratados, assassinados, famintos e até mesmo não protegidos adequadamente. Assim, cães e gatos não fazem apenas parte da nossa vida. Hoje, fazem parte da família.

As últimas enchentes na Região Metropolitana  de Porto Alegre reforçam esta percepção. Imagens da destruição de casas e alagamentos somaram-se a inúmeros registros de animais ilhados, resgatados heroicamente por gente que, embora perdendo os seus bens, não deixou o seu mascote “familiar” para trás. Exemplos de solidariedade aos animais não faltaram, pois moradores se recusaram a sair de suas casas se seus animais não fossem resgatados.

Em vários municípios, ficou evidente que protetoras e órgãos públicos fizeram um grande esforço para resgatar e abrigar animais. Mas não foi o suficiente, pois muitos ficaram pelo caminho. Sobraram heroísmo e abnegação, mas faltou planejamento estratégico.

É hora de o Executivo Municipal assumir seu papel e reconhecer a necessidade da criação do Conselho Municipal dos Animais, enviando projeto de lei para a Câmara Municipal. Há muito que defendo esta bandeira. O Conselho deve realizar o controle social, propor políticas públicas em prol dos animais, aglutinar sugestões para esterilização, identificação, guarda responsável e adoção consciente e, é claro, promover orientações à Defesa Civil para resgates em enchentes e outras calamidades.

A mesma sensibilidade e vontade que se tem para proteger animais se constata na disposição de quem oferece proteção a idosos, crianças e portadores de necessidades especiais. Ao abraçarmos causas, formamos uma corrente de solidariedade e de proteção social. Nada é excludente. Cada um escolhe o seu voluntariado e faz o seu caminho orientado para espalhar o bem na sociedade.

Vereadora (PMDB) em Porto Alegre

Fonte: Jornal do Comércio 


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

AGRESSÃO BRUTAL

INSTINTO

VIDA NA RUA

RESPEITO E AFETO

FINAL FELIZ

TRISTEZA

PUNIÇÃO

MAUS-TRATOS


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>