Após 2ª morte de arara por linha com cerol, moradores pedem providências


Arara ficou com a asa ferida com um corte profundo e acabou morrendo (Foto: Júlia/TEM Você)
Arara ficou com a asa ferida com um corte profundo
e acabou morrendo (Foto: Júlia/TEM Você)

Mais uma arara canindé morreu em Santa Fé do Sul (SP) após se enroscar em uma linha de cerol. O caso aconteceu na sexta-feira (31), e é o segundo em pouco tempo na cidade. Há duas semanas, um animal da mesma espécie também foi ferido por uma linha de cerol, e também morreu. Os moradores, que consideram as aves atrações da cidade, pedem providências à polícia.

Os dois casos foram parecidos. As aves tiveram a asa cortada pelo fio e foram resgatadas pelo Corpo de Bombeiros, levadas para atendimento veterinário e não resistiram aos ferimentos profundos.

O comerciante Percival Gonzales está revoltado com a situação e pede que as autoridades tomem providências. “As araras estão presentes na cidade há mais de 6 anos, além de ser muito queridas, os moradores cuidam muito para preservá-las. As autoridades precisam fazer alguma coisa, pois não são apenas crianças que estão usando pipa com cerol. A população teme uma intervenção por conta própria, mas as autoridades não fazem nada”, se revolta o comerciante.

Segundo ele, após a primeira morte, houve até uma movimentação da Guarda Municipal, porém durou apenas uma semana. Em frente à loja dele, existe um tronco de arvore, em que as araras constrõem ninhos. Turistas que passam pelo local, ou até mesmo fotógrafos, param para registrar o local, que se tornou um atrativo para quem visita a cidade.

De acordo com o biólogo Sandro Alves Correa, as araras entram em época de reprodução em dezembro, no entanto, antes desse período, começam a frequentar a cidade para a construção dos ninhos – o que está acontecendo agora. “Existem fatores que atraem as araras para nossa cidade, por exemplo, a perda do habitat. Santa Fé é muito arborizada, principalmente com palmeiras, locais onde elas constroem os ninhos. Os moradores daqui têm respeito em relação às araras, são até protegidas, por isso estão muito preocupados com os casos recentes”, explica o biólogo.

O comandante da Guarda Municipal de Santa Fé do Sul, Everson Merighi Pinha, afirma que as fiscalizações permanecem e que a GM faz o possível para cobrir todas as regiões. “É impossível cobrir toda a cidade no caso das araras. Estamos fazendo o posível para evitar incidentes como este mas precisamos que a população ajude, denunciando e evitando o uso, orientando os amigos e familiares. Algumas linhas também ficam presas em árvores e acabam ferindo os animais posteriormente”, explica Pinha.

A multa para quem utiliza linha de cerol varia entre R$ 150 à R$160. Se pegos em flagrante, os suspeitos são levados para o Plantão Policial, onde é determinado a multa, apreensão do objeto e destino a ser tomado do suspeito ou responsável.

Com ajuda de alguns voluntários, o biólogo está registrando os locais dos ninhos na região e logo poderá controlar o número de aves que visitam Santa Fé do Sul. Ainda não existe um grupo próprio para a proteção das araras, mas cada morador pode ajudar a manter em segurança das aves.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RECIFE (PE)

RIO DE JANEIRO

MAUS-TRATOS

EMPREENDEDORISMO

AÇÃO HUMANA

CONSCIENTIZAÇÃO

ABUSO

ÓRFÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>