"Grindarap"

Ativistas do Sea Shepherd são detidos tentando impedir caça de baleias nas Ilhas Faróe

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Seis ativistas da organização não-governamental “Sea Shepherd”, que combate a caça às baleias, foi detido essa semana nas Ilhas Faroé, no Atlântico Norte.

A equipe patrulha desde maio a orla costeira das ilhas dinamarquesas para impedir a matança de centenas de baleias-piloto durante o “Grindaráp”, um ritual controverso que se repete todos os anos entre a primavera e o fim do verão.

Durante a caça à baleia, que ocorre em vários pontos das Ilhas Faroé, centenas de cetáceos são conduzidos por barcos para uma baía, onde são mortos por pescadores. Uma prática denunciada por ativistas ambientais, que todos os anos patrulham a costa para tentar impedir a morte dos animais.

A “Sea Shepherd” tem estado a patrulhar a costa das Ilhas Faroé desde 1 de maio, de acordo com a organização. Na terça-feira, já tinham sido detidos dois ativistas da organização, tendo a Polícia detido mais seis membros da ONG essa quinta-feira, incluindo o luxemburguês Kevin Schiltz.

A organização ambiental apelou na sexta-feira à libertação imediata dos ativistas e ao fim da caça à baleia na região.

Durante o “Grindaráp”, a água das enseadas, onde as baleias-piloto são mortas, tinge-se de vermelho, originando imagens que podem ser chocantes.

Os habitantes da llhas Faroé defendem que a caça à baleia é uma actividade tradicional que alimenta as famílias, numa região em que os habitantes dependem quase exclusivamente da pesca.

A caça à baleia naquela região autônoma da Dinamarca iniciou-se há mais de mil anos, com os primeiros colonos. A pesca em grupo aos cetáceos ter-se-á iniciado no séc. XVI.

Cerca de 50 mil pessoas vivem nas Ilhas Faroé, situadas entre a Noruega, Islândia e Escócia.

 

*Esta notícia foi escrita, originalmente, em português europeu e foi mantida em seus padrões linguísticos e ortográficos, em respeito a nossos leitores.

Fonte: Luxemburger Post

1 COMENTÁRIO

  1. Uma barbárie e vergonha mundial. Sabemos que as baleias são mortas por esporte e maldade. Famílias inteiras agonizam enquanto seus membros são mortos ao lado deles. Se não se pode parar as mentes doentias do povo local a Dinamarca tem que ser punida por acobertar e ajudar na matança. O mundo todo tem que saber e boicotar o turismo local.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui