Cão é morto a golpes de facão por vizinho na zona norte de Macapá (AP)


Cão foi morto no bairro Brasil Novo, em Macapá (Foto: Ellen Freitas/Arquivo Pessoal)
Cão foi morto no bairro Brasil Novo, em Macapá
(Foto: Ellen Freitas/Arquivo Pessoal)

Com golpes de facão na cabeça e pelo corpo, um cão foi morto em frente a casa dos donos, na noite de quarta-feira (17), no bairro Brasil Novo, Zona Norte de Macapá. O suspeito do crime é um vizinho da família, de 20 anos, que foi preso em flagrante pela polícia, e liberado após pagamento de fiança. Os tutores do animal contaram que o jovem ameaçou matar o cão após ter sido perseguido pelo cachorro. Ele teria ido até a casa onde mora e retornado minutos depois para matar o animal.

O cão, chamado de Mailom, tinha 2 anos, e desde o nascimento morava com a família de Ellen Freitas. Ela conta que o animal sempre foi dócil e ficava solto durante o dia, sem nenhum histórico de ter mordido alguém.

“Ele corria apenas se mexessem com ele. O Mailom estava solto ontem [quarta-feira] e os vizinhos me falaram que esse rapaz passou e mexeu com o cachorro, daí o motivo para ele ter avançado. Perguntei se ele foi mordido porque ia comprar os remédios. Ele me mostrou a perna e não tinha nada. Saí logo depois de casa, e na esquina ele ameaçou que ia matar o cão. Voltei e só ouvi o Mailon gritando, e quando olhei meu cão estava com o golpe na cabeça. Não dava para fazer mais nada”, lembrou Ellen, emocionada.

Após o fato, o suspeito foi levado pela Polícia Militar (PM) e assinou um Termo Circunstanciado (TC) sendo liberado em seguida após pagamento de fiança no valor de R$ 1 mil. O caso está sendo apurado na Delegacia de Meio Ambiente (Dema).

Segundo o delegado Sávio Pinto, o suspeito de matar o animal deve responder pelo crime de maus-tratos a animais, com agravante em ameaça. A pena pode chegar a um ano de prisão, e como houve a morte do cão, a pena pode ser agravada de um sexto a um terço da condenação.

O G1 procurou o jovem suspeito na manhã de quinta-feira (18) no endereço descrito por ele na ocorrência registrada pela PM. A casa encontrava-se fechada e não havia ninguém no local.

Apesar de ele poder responder pelo delito em liberdade, a família tutora de Mailom, pede justiça. “O animal não teve nem condição de defesa, pois ele foi amarrado após ter avançado. Não tinha porque fazer isso. Quem faz isso é doente, psicopata. Quero que ele pague pelo crime”, pediu Ellen.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

PRESERVAÇÃO

DESESPERO

CONSOLO

CALIFÓRNIA

ANGÚSTIA

COMPANHIA

VIOLÊNCIA INJUSTIFICADA

ASSASSINATO BRUTAL


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>