Aterrorizados, animais fogem de zoo durante tempestade na Geórgia


Por Bruna Araújo (da Redação)

Homem direciona hipopótamo que fugiu de zoológico na Geórgia após ele ser atingido por um tranquilizante neste domingo (14). A fuga ocorreu após fortes chuvas em Tbilisi (Foto: Beso Gulashviliingo/Reuters)
Homem direciona hipopótamo que fugiu de zoológico na Geórgia após ele ser atingido por um tranquilizante neste domingo (14). A fuga ocorreu após fortes chuvas em Tbilisi (Foto: Beso Gulashviliingo/Reuters)

Após uma chuva torrencial de cinco horas de duração em Tbilisi, Geórgia, o zoológico da cidade sofreu danos em sua estrutura e não conseguiu impedir a fuga de vários animais. 13 lobos, seis leões e cinco tigres, entre outros animais, ficaram soltos pelas ruas inundadas e caóticas da cidade segundo informa a rede de televisão Rustavi-2.

Áreas foram isoladas e a população foi proibida de sair de casa até que os animais fossem resgatados. A TV local estima que cerca de 30 animais fugiram após a catástrofe natural. Os meios de comunicação local descrevem os animais como “bestas mortais” e informam que os animais considerados mais perigosos foram mortos sem tentativa de resgate devido a seu “estado de fome e periculosidade”.

Corpos já sem vida de, pelo menos, um leão, um javali e um tigre foram vistos após as enchentes. As autoridades do zoológico disseram que seis lobos também foram mortos. Ainda não foi divulgado um balanço oficial do número de animais desaparecidos, mortos e feridos.

Excesso de força contra os animais

Segundo a porta-voz do zoológico Mzia Sharashidze, a contagem dos animais ainda não foi possível porque diversos recintos ainda estão inundados. “Cerca de 20 lobos, oito leões, tigres brancos, cães selvagens e jaguares foram mortos por forças especiais ou estão desaparecidos. Apenas três dos nossos 17 pinguins foram resgatados”, lamentou a porta-voz do jardim zoológico, Mzia Charachidze.

Alguns funcionários do zoológico acusaram as autoridades de usar força e violência desnecessária contra os animais. O diretor do zoológico Zurab Gurielidze disse que um dos animais, um jovem leão branco chamado Shumba, havia sido encontrado com um tiro na cabeça.

Imagens transmitidas pelo canal de televisão Rustavi 2 mostraram um hipopótamo nas ruas inundadas do centro da capital, enquanto membros das equipes de emergência tentavam capturar o animal com dardos tranquilizadores. Outras imagens divulgadas nas redes sociais mostraram um crocodilo preso entre carros num parque de estacionamento e um urso em cima da estrutura do ar-condicionado de um prédio.

* Com informações do portal Último Segundo

Nota da Redação: Zoológicos e outros locais que aprisionam animais devem ser completamente extintos. Casos como o da Geórgia servem para alertar a população mundial sobre a injustiça e crueldade escondida atrás de zoológicos e outros locais que mantém animais em cativeiro apenas para divertimento humano. É preciso clarear a consciência para entender e respeitar os direitos animais. Eles não são objetos para serem expostos e servirem ao prazer de seres humanos. As pessoas podem obter alguns minutos de entretenimento, mas para eles é uma vida inteira de exploração e abusos condenados pelo egoísmo humano.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

POLÍTICA PÚBLICA

RECOMEÇO

BANALIZAÇÃO

CAZAQUISTÃO

DESMATAMENTO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>