conscientização

Projeto público estimula o respeito aos animais desde a infância

Por Fátima Chuecco (da Redação)

A ANDA abre espaço para uma série de reportagens que abordará a proteção animal na infância, pois, é nessa fase que boa parte de nossa personalidade se forma. Muitas das experiências que temos quando crianças nos marcam para o resto da vida. Aliás, é lá na infância que muitos ativistas começaram a abraçar a causa animal mesmo sem se dar conta disso. Por isso, alimentar as crianças com atividades, livros, filmes e tudo o que possa motivar o amor e respeito aos animais é essencial para um futuro em que a natureza seja protegida e os bichos fiquem livres da escravidão.

Educadores com visão futurística percebem o quanto é importante falar de meio ambiente englobando tudo que está em torno da criança e não só de rios, praias e florestas, como se a natureza só existisse distante dela ou só onde ela passa as férias. A Educação Ambiental moderna entende que a criança precisa ser motivada a respeitar a borboleta que pousa em seu quintal, as árvores das calçadas, os passarinhos que moram na cidade e os cães e gatos que vê na rua. Tudo faz parte da natureza: nós, as águas, as florestas, os demais animais… tudo. Ensinar a preservar apenas rios e florestas é ensinar pela metade porque grande parte das criaturas nasce e cresce nas grandes cidades.

Essa série vai mostrar iniciativas que trabalham proteção animal com crianças em escolas, comunidades ou eventos. Haverá dicas de livros e filmes que podem sensibilizar as crianças nesse sentido. Aliás, quantos de nós não tiveram esse “despertar para a causa animal” a partir de algum filme ou livro onde um bichinho era o protagonista?

Como vemos pelas notícias, há um crescente número de pessoas se envolvendo com a causa animal ou, pelo menos, prestando ajuda a animais eventualmente. Chovem denúncias e resgates. São pessoas de várias idades e profissões, além de policiais e bombeiros que têm socorrido animais em situações extremas como nunca víamos acontecer anos atrás. São manifestações pelos direitos animais em toda parte do planeta. No entanto, vai depender das gerações futuras a criação de leis, de posturas e de uma nova visão. Que essa nova série da ANDA inspire a todos (educadores, pais, avós, tios, protetores e simpatizantes da causa) a envolver as crianças numa atmosfera de comunhão com a natureza e respeito aos animais, afinal, uma coisa não é possível sem a outra

Educação ambiental é ampliada em Bauru

E-doc 8370/2015_Cartilha de adocao consciente_Modific. 13/04/15

Está sendo implantado em Bauru (Interior de SP) um Programa de Educação Ambiental voltado para a Proteção Animal. Sem dúvida um passo à frente dado pela Secretaria Municipal do Meio Ambiente (SEMMA) em conjunto com a Secretaria Municipal de Educação e o Conselho Municipal de Proteção e Defesa dos Animais (Comupda) de Bauru. Na primeira etapa do programa o biólogo Daniel Rolim, do SEMMA, estará ministrando palestras para os professores das 80 escolas do Sistema Municipal de Ensino (Emeis e Emefs), durante as reuniões de Hora de Trabalho Pedagógico Coletivo (HTPC). E numa segunda etapa as palestras serão com alunos.

Rolim também elaborou a Cartilha de Adoção Consciente e Guarda Responsável (vide fotos) que, a exemplo de cartilhas criadas e distribuídas por alguns CCZs (Centro de Controle de Zoonoses) do país, também busca conscientizar as crianças quanto a importância da castração de cães e gatos e fala dos cuidados e carinho que se deve ter com os animais domésticos. Com isso, está sendo ampliada a visão dos alunos da rede municipal no sentido de enxergarem o meio ambiente como um todo, incluindo o meio em que vivem, e não somente as florestas, parques e outras áreas povoadas de animais selvagens e silvestres. A cartilha ficará à disposição para professores e interessados no assunto no site da prefeitura de Bauru.

E-doc 8370/2015_Cartilha de adocao consciente_Modific. 13/04/15

 

E-doc 8370/2015_Cartilha de adocao consciente_Modific. 13/04/15

“O objetivo é transformar os professores em multiplicadores e protetores dos animais, incentivando que desenvolvam atividades com esse tema junto aos alunos, desde o ensino infantil até o fundamental. Penso que é nas primeiras fases de desenvolvimento do ser humano que ele absorve os conceitos de vida, sendo muito importante que estas crianças conheçam a verdade sobre os animais e quebrem os paradigmas, mitos e conceitos errados que são passados por meio dos familiares ou pela sociedade ao longo das gerações”, explica o biólogo.

E-doc 8370/2015_Cartilha de adocao consciente_Modific. 13/04/15

E que tal uma semana inteira estimulando amor e respeito aos animais com apoio da prefeitura? Leandro Tessari, presidente do Comupda, comenta que, além das palestras e disponibilização da cartilha, haverá uma Semana Municipal de Proteção Animal em 4 de outubro. “É uma ação que dá continuidade as palestras, um meio de alcançar mais crianças e também adultos. Estamos formulando as atividades para o evento”, diz Leandro que é também ativista da SOS Cerrado e ministra palestras sobre a fauna do cerrado da região. “É dada uma visão geral dos tipos de cerrado, a importância da conservação e também sobre animais que nela vivem e sofrem preconceito como o gambá e a onça parda”.

Com a palavra: o vira-lata

7

Sabe o que ronda a mente de um vira-lata passando por maus e bons momentos nas ruas? Pois o livro “Caos, o cachorro”, de Tathyana Vianna conta direitinho. Com belas ilustrações de Mariana Massarani, a obra vai mostrando diversas situações vividas pelos cães abandonados, desde a devolução de uma adoção até o sufoco de procurar comida, abrigo e, claro, novos tutores.

8 9

A leitura é especialmente indicada para crianças a partir de 8 anos porque a narração é leve e engraçada. Amarelo, o cãozinho protagonista (que também recebe outros nomes ao longo da história), consegue sintetizar várias experiências muito comuns na vida de um vira-lata: a comoção de pessoas que o encontram sozinho, faminto e tentam ajudá-lo, a adoção por impulso (que não dura muito e acaba terminando num segundo abandono), a adoção por gente louca que costuma prender cachorro o dia todo, a amizade com outros cães de rua (essencial à sobrevivência), a vida de um cão comunitário (quando conquista um grupo de pessoas que se encarregam de cuidar dele) e, finalmente, a adoção consciente por alguém que tem amor, espaço, tempo e condições de adotar um cão por toda a vida dele.

Tathyana se inspirou em seu primeiro cão, o Ulisses, que era tão bagunceiro e “dono do próprio focinho” quanto Amarelo. Hoje ela vive no Rio com as vira-latas Clara Joaquina e Fran Chiquinha. O livro, da Editora Objetiva/Alfaguara, está à venda nas livrarias, mas também pode ser adquirido com a autora pelo email [email protected]

Paul McCartney para crianças

10

“Lá no alto das nuvens” (High in the clouds) é uma pérola da literatura infantil que passou um pouco despercebida pelo mercado brasileiro. É possível achar na Livraria Cultura e diretamente com a Editora Planeta. Escrito por Paul McCartney, Geoff Dunbar e Philip Ardagh, deve virar filme e ser exibido no Brasil ainda este ano. Conta a história do esquilo Serelepe que, forçado a abandonar a floresta, vai em busca de uma espécie de “terra prometida” para todos os animais, a Animália, onde se vive em liberdade e sem medo. O maior problema é que ele e alguns de seus amigos querem libertar e levar consigo animais escravizados. Já pensaram no trabalhão que vão ter? Um livro para crianças que alguns adultos vão querer ter na cabeceira da cama.

Veja também os primeiros episódios dessa série em:

Proteção animal começa na infância – sobre a ONG MICA que ensina amor e respeito aos animais por meio de oficinas e concursos de arte

Proteção Animal é estimulada desde a infância nas escolas – palestra sobre proteção animal para crianças e jovens, e dicas de livros que estimulam o respeito pelos animais

1 COMENTÁRIO

  1. Era exatamente a didática que faltava para que nasça nas crianças a sensibilidade e o prazer de gostar de animais, e que estas passem a ver no animal um amigo a sério e que deve ser respeitado como um ser vivo, e não apenas um brinquedo peludo que logo se desgasta com a chegada de um brinquedo de verdade. É muito oportuna a iniciativa da ANDA, que vem de encontro a uma falha de longa data, e passa a promover através da iniciativa pedagógica, o conhecimento necessário e o despertar de sentimentos para um relacionamento franco, responsável e duradouro. Só assim chegaremos a um estágio mais evoluído de menos selvageria, menos abandono e melhor formação psicológica, moral e social. Parabéns.

  2. É isso. Coisas que sonhei e não tive a capacidade de fazer…mas que beleza ver pessoas com garra que vão e fazem.Quero o livro da Tathyana e o livro do Paul McCarntey e parceiros. Obrigada pela informação.

  3. É imprescindível, introduzir esses e outros conceitos nas mentes das crianças ainda mais em um mundo em que vivemos.
    Se não realizar isso agora, o resultado será a construção de novos presídios

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui