Autoridades reforçam necessidade de conscientização para conter avanço da doença em Corumbá (MS)


(Foto: Erik Silva/Capital News)
(Foto: Erik Silva/Capital News)

Um surto de raiva animal vem preocupando as autoridades de saúde em Corumbá. Segundo dados divulgados pelo Centro de Controle de Zoonoses do município, a cidade já tem seis casos da doença confirmados e outros nove casos suspeitos aguardam confirmação laboratorial.

A última vez que o município havia registrado casos de raiva animal foi em 2012, desde então nenhuma notificação foi realizada. Para tentar frear o avanço da doença, a Secretaria de Saúde iniciou esta semana uma campanha emergencial de vacinação em todos os cães e gatos, além do recolhimento de animais não domiciliados que vivem em condições de abandono nas ruas.

Anteriormente uma ação de vacinação havia sido realizada nos bairros onde foram constatados os casos de raiva animal, como forma bloqueio de foco. No entanto, somente as ações empregadas pelas autoridades não são suficientes no combate da raiva que já teve casos confirmados no município de Ladário e também em Roboré, na Bolívia.

Na manhã desta quinta-feira (16), uma reunião com a imprensa e membros dos departamentos da saúde, reforçou a necessidade de se trabalhar na conscientização da população quanto os deveres e obrigatoriedades de tutores de animais domésticos no controle da raiva animal. Segundo a Chefe do Centro de Controle de Zoonoses Walkíria Arruda, os tutores que não controlam a saída de seus animais os deixam mais expostos a contraírem a doença. “Nós só vamos conseguir resultados positivos quando a população se conscientizar de que não podemos ficar dependendo apenas das ações do poder público. Não adianta a prefeitura promover ações, as forças armadas auxiliarem com mutirões, se o cidadão não fizer a sua parte”, disse.

Segundo Walquiria, 18 pessoas estão em tratamento profilático por terem tido contato com os cães que foram diagnosticados com a doença.

Diagnostico

Outro fator que dificulta as ações de combate à doença, é que não existe um exame que diagnostique um animal que tenha contraído raiva enquanto vivo. “A raiva não é diagnosticada através de nenhum exame clínico durante a vida do animal, para que o caso seja confirmado é necessário a coleta de material encefálico que só é realizado após a morte. Por isso a importância de se prevenir, cuidando para que seus animais não fiquem soltos pelas ruas expostos ao contato com a doença”, concluiu.

Identificada por diversos sintomas e mudanças habituais no animal, a raiva também se manifesta em alguns casos de forma assintomática, ou seja, há casos em que os animais não apresentam nenhum dos sintomas característicos da doença, dificultando ainda mais o diagnóstico. “Por isso é importante ressaltar, não é porque o animal que está na rua, não apresenta os sintomas mais evidentes da doença, significa que ele não esteja contaminado”, reforçou. Segundo Walquiria, entre os seis casos diagnosticados até o momento em Corumbá, em um deles o cão não apresentava nenhum dos sintomas da doença.

Vacinação

A Vacinação prossegue sendo realizada pelos agentes do CCZ de casa em casa e deverá atingir todos os bairros da cidade. Um plantão de atendimento também foi montado na sede do Centro de Controle de Zoonoses que está disponibilizando a vacinação contra raiva para os tutores de cães e gatos que levarem os animais. “Não é preciso aguardar para que os agentes passem em sua casa, quanto antes o proprietário vacinar seu animal melhor, por isso temos um plantão atendendo inclusive aos sábados e domingos diretamente no CCZ, e paralelamente a vacinação sendo realizada de casa em casa”, afirmou.

Segundo dados divulgados, 81,74 dos cães e gatos de Corumbá já receberam a a vacinação antirrábica nos últimos meses e o município está programando a realização de duas campanhas anualmente.

Fonte: Capital News


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO

DE OLHO NO PLANETA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>