AÇÃO DIRETA - ALEX AVANCINI

ONDA Vegana: A Defesa Animal no litoral de São Paulo

Tendo o mar como desafio e a educação como norte principal das suas ações, nasce a ONDA Vegana, os Direitos dos Animais no Litoral de São Paulo. Banhados pelo oceano...

186

11/02/2015 às 15:40
Por Redação

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

ONDA1

A costa brasileira é uma imensidão sem fim. Do cabo Orange até o arroio do Chuí são mais de 7 mil quilômetros.O litoral paulista soma seus 622 km de extensão colocando-o como o quinto maior do país. A região metropolitana da baixada santista têm 65 quilômetros contínuos de extensão litorânea com cerca de 122 praias ao longo do seu território. É nessa área que um jovem grupo abolicionista da causa animal nasceu e decidiu atuar contra o especismo. Tendo o mar como desafio e a educação como norte principal das suas ações, nasceu a ONDA Vegana, a Defesa Animal no Litoral de São Paulo.

Banhados pelo oceano atlântico um grande desafio: Falar sobre Direitos dos Animais inseridos num contexto social onde o mar é visto como fonte primária na sobrevivência: Na pesca, no turismo, no entretenimento e na questão portuária. Propor para a sociedade uma reformulação na maneira de olhar o mar e pensar sobre os indivíduos marinhos depois de décadas praticando o especismo e fortalecendo a cultura de exploração marítima, se coloca ao mesmo pé de dificuldade encontrado em outras regiões do país como a questão do queijo em Minas Gerais, o gado no Rio Grande do Sul ou os rituais religiosos envolvendo aves exóticas e outros animais na Amazônia. O ser humano se instala e aprende a sobreviver mas infelizmente para nós abolicionistas essa sobrevivência quase sempre significa a exploração da natureza e dos animais não humanos.

ONDA3Propor depois de quinhentos anos a mudança na mentalidade em relação aos animais não é tarefa fácil. Falar sobre dar direitos de vida intrínseca aos peixes, mariscos, arraias, tartarugas e tantos outros que compõe a vida marinha -assim como os que não a compõe: Ao gado, aos cães, aos gatos, aos frangos- parece para aqueles acostumados ao especismo do cotidiano algo completamente fora da realidade e as essas pessoas propostas a discutir a respeito, verdadeiros extremistas, radicais, chatos ou coisa parecida.

A tarefa de falar sobre a Libertação Animal não é fácil, nós sabemos, nunca foi e nunca vai ser. Ninguém gosta de sair da zona de conforto e perceber que estamos praticando algo que mata, perpetua, agride e coloca o outro em uma situação tão ruim que para nós pareça inaceitável. As pessoas não gostam de saber que são elas as responsáveis pelo sofrimento dos outros.

Um coletivo criado a partir da união de amigos de várias localidades da baixada santista e de diversas profissões decidiu lutar apenas por um único ideal: Educação sobre a causa animal e veganismo.

Com ações diretas e conscientização da população em geral, o movimento Onda Vegana tem como objetivo principal a abolição da exploração dos animais, seja em casos de maus-tratos, exposição, abuso, negligência, aprisionamento e qualquer outro ato que possa ferir os direitos e a vida dos não humanos. Visando informar, revelar a realidade diante de todos os tipos de abusos da humanidade contra a vida animal, expondo principalmente que estes são seres sencientes e têm direitos a igualdade, liberdade e respeito, estabelecendo como ponto importante a divulgação do veganismo e um ideal de vida com base na ética e na moral, uma luta pela igualdade entre as espécies.

Criado em agosto de 2014 o grupo conta com 18 membros para falar de Direitos Animais na Baixada Santista. A Onda Vegana atua frente aos principais problemas locais, protestos, denúncias, trabalho informativo, petições, manifestações, trabalho com mídias sociais, resgates além das particularidades de atuação numa região litorânea:

ONDA4

Aquários: Atuação que envolve pesquisas, levantamento de dados, leis, pesquisas e análises, principalmente o que se refere ao Aquário de Santos, a maior atração turística do estado e que reúne centenas de espécies de animais enclausurados, animais até mesmo de regiões climáticas totalmente opostas a do Brasil, como é o caso dos Pinguins.

Pesca: nada mais litorâneo (infelizmente) que a pesca, onde as ações não são só informativas de que “peixe não dá em árvores” mas também com ações educativas contra essa prática violenta, como a atuação no evento chamado “Dia do Pequeno Pescador”, onde pais e responsáveis levam crianças para o deck do pescador para ensinar “pesca esportiva”, sendo que alguns dos peixes retirados do mar são enclausurados como “amostra de espécie” para exposição aos visitantes do Aquário de Santos.

Caranguejos: Esses animais são retirados dos mangues, pendurados pelas patas amontoados e vendidos na beira das rodovias de acesso à capital, interior e região. Algumas espécies até mesmo já se encontram em perigo de extinção. Além de toda exploração e tortura animal para consumo humano, ainda todas as vendas acontecem sem fiscalização e sem permissão de leis. As ações estão sendo planejadas para atuar nessas ocasiões.

Luaus: O luau é um evento que só existe graças a essa particularidade de atuar no litoral. Já foram 5 no total e que agora começará a acontecer a cada mudança de estação. Entre eles também na orla da praia acontecerão mensalmente os vegniques – um evento de cunho mais informativo e também de divulgação sobre o veganismo.

Animais marinhos e regionais: No caso dos peixes, tartarugas, pelicanos, garças, etc. Muitas são as denúncias feitas diante da morte desses animais, que acontecem por conta de poluição, lixo jogado no mar, pesca predatória com rede de arrasto e até mesmo a caça para consumo como por exemplo no caso das tartarugas.

Mutirão de limpeza: Infelizmente o ser humano não é um animal consciente, dentro do grupo há um trabalho de limpeza da orla onde os grupos se dividem para a coleta de lixo em praias, mangues e brejos da região. É uma ação voltada ao meio ambiente mas que reflete diretamente na vida dos animais locais inclusive dos poucos vistos em grandes cidades como o caso de sapos dos brejos ou dos caranguejos dos mangues.

A Onda Vegana já é uma realidade dentro dos grupos de libertação animal no Brasil. Em dezembro de 2014 o grupo realizou o resgate da porca Peppa, uma porca abandonada da região que iria para o abate natalício o que rendeu bastante repercussão em toda mídia nacional. Após a ação, a porca foi conduzida para lar adotivo onde vive hoje livre e com outros animais de fazenda, vistos como vidas e não como alimento.

ONDA2Muitos manifestos são organizados: Contra os rodeios, festa de peão, parques ecológicos, exposição de animais silvestres em shoppings, exposição de vídeos educativos, apuração de casos de maus-tratos, resgates de animas domésticos como cães, gatos, coelhos etc. A Onda vem para ficar e já se projeta como um dos mais importantes grupos veganos do litoral do Brasil.

Ativistas dedicados à causa animal é o que encontramos na ONDA da baixada santista, com um discurso coerente e totalmente abolicionista o grupo vem apresentando um importante ativismo para aquela região do país e mostrando que com muita força e trabalho ações como estas podem melhorar significativamente a vida dos animais.

Interessados podem entrar em contato com o grupo através do e-mail: [email protected]

Grande parte das ações são feitas na cidade de Santos-SP e o grupo também está presente nas redes sociais: Facebook e Youtube.

Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.