Sea Shepherd auxilia no salvamento de tartarugas na Costa Rica e convoca voluntários


Por Alex Avancini (da Redação)seashepherd1

Desde que a conservação das tartarugas marinhas na Costa Rica começou na década de 1950, os conservacionistas e os caçadores compartilham as praias. Embora a caça de tartarugas marinhas seja ilegal, na praia esta lei não é muito respeitada.

A Sea Shepherd Conservation Society Costa Rica e a Latin American Sea Turtles (LAST) lançaram juntas a “Operação Pacuare”, uma campanha de combate à caça para proteger as tartarugas marinhas na praia de Pacuare, na pequena província de Limón, na Costa Rica.

A LAST é uma rede científica internacional com coordenadores ativos em mais de 40 países, liderando projetos de proteção de tartarugas marinhas em Pacuare Island. Infelizmente os números de voluntários estão caindo de forma constante e a Sea Shepherd colaborou realizando um chamado global para aumentar o número de voluntários e trazer pessoas dedicadas na proteção das tartarugas marinhas e das áreas verdes locais, garantindo que todos frequentem a pequena ilha que é um ninho mundial para as tartarugas da América Central.

Recentemente a escritora e fotógrafa Lindsay Fendt descreveu importantes experiências realizadas com a ONG na ilha.

“Desprovido dos empregos tradicionais nas grandes cidades e capitais, a pequena comunidade caribenha de Pacuare é um refúgio para caçadores de tartaruga. A estimativa é que pelo menos metade da comunidade é dedicada ao comércio ilegal. As regras são simples: quem encontra o ninho primeiro recebe o prêmio. Se o vencedor é um conservacionista, ele irá reunir os ovos e enterrá-los num centro de incubação onde irão incubar com segurança até a hora de eclodir. Se um caçador chega lá primeiro, vai  levar os ovos e vendê-los no mercado negro. Se a tartaruga ainda estiver lá, ele provavelmente vai matá-la, fatiá-la e vender a carne como alimento”, comenta Linds sobre a situação da ilha.

A única coisa que está entre os caçadores e as tartarugas – que se reúnem na praia todos os anos para formar seus ninhos – é a frota de voluntários, na sua grande maioria estrangeiros de programas de proteção de tartarugas e alguns moradores que tem se reunido para defender estas criaturas ameaçadas de extinção.

Em maio de 2013 um voluntário de 26 anos de idade e protetor de tartarugas marinhas chamado Jairo Mora, foi morto por caçadores locais quando trabalhava salvando a vida marinha. Esse fato fez com que o número de voluntários caísse consideravelmente e os coordenadores do projeto tivessem que pedir ajuda internacional.

Voluntários trabalham para salvar a vida marinha na ilha de XXXX na Costa Rica. - Foto: Sea Shepherd
Voluntários trabalham para salvar a vida marinha na ilha de Pacuare na Costa Rica. – Foto: Sea Shepherd

“Em setembro, passei quatro dias em Pacuare com a ONG Sea Turtles Latina Americana. Durante anos o programa de voluntariado na ilha de Pacuare foi considerado confiável para salvar centenas tartarugas na praia durante a temporada de nascimento dos ovos, mas um crescente sentimento de insegurança estimulado pelo assassinato de Mora levou a uma queda drástica no número de voluntários em 2014”, acrescenta a fotógrafa.

O futuro das tartarugas de Pacuare depende da capacidade do programa para atrair mais conservacionistas para o resgate. A lei que assiste as tartarugas na Costa Rica infelizmente é um sistema imperfeito, embora conservacionistas e caçadores tivessem conseguido coexistir por anos, após o assassinato do jovem Mora tudo mudou.

Voluntários da Sea Shepherd Costa Rica e da  Latin American Sea Turtles precisam de voluntários para o projeto na Costa Rica
Voluntários da Sea Shepherd Costa Rica e da Latin American Sea Turtles precisam de voluntários para o projeto na Costa Rica

A Sea Shepherd e outros voluntários estão patrulhando ativamente a costa da Ilha de Pacuare para localizar e proteger ninhos de tartarugas marinhas, bem como as tartarugas. Os ovos produzidos por esses animais em extinção pode cair nas mãos de caçadores.

O desespero econômico não é uma desculpa válida para matar estas delicadas criaturas e exportar seus ovos para os mercados estrangeiros. A caça e outras atividades humanas estão acabando com as tartarugas marinhas em taxas alarmantes. Muitas espécies estão perto de desaparecer dos oceanos.

“O tempo para protegê-las é agora, e Sea Shepherd está empenhada em fazer exatamente isso na Costa Rica e em outros habitats de nidificação em todo o mundo”, disse a diretora executiva da Sea Shepherd nos Estados Unidos, Susan Hartland.

Se você se interessar em participar deste time de voluntários e se dedicar ao salvamento de tartarugas na Costa Rica, entre em contato com a ONG Latin American Sea Turtles (LAST) ou com a Sea Shepherd Conservation Society Costa Rica e apresente-se como voluntário ou voluntária. Certamente este time e especialmente as tartarugas precisam de você.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DESMATAMENTO

BARBÁRIE

PRESSÃO INTERNACIONAL

INVOLUÇÃO

UNIÃO

PREVENÇÃO


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>