Cão obeso resgatado em MT perde 6 kg e já consegue correr na esteira


Imagem divulgada nesta segunda-feira (5) mostra Bolinha mais magro (Foto: Fernanda Viccini)
Imagem divulgada nesta segunda-feira (5) mostra
Bolinha mais magro (Foto: Fernanda Viccini)

O ano de 2014 foi de mudanças para o SRD Bolinha. Quando foi resgatado em setembro em um posto de combustíveis na BR-364 em Mato Grosso, no qual era uma atração aos clientes por causa do excesso de peso, o cãozinho mal conseguia andar e respirava com muita dificuldade. Três meses depois, após tratamento em uma clínica de Cuiabá, ele já perdeu 6 kg – passou de 36,5 kg para 30,5 kg – e consegue até mesmo correr na esteira aquática, onde é submetido a sessões de exercícios físicos três vezes na semana. Os salgados e restos de comida que faziam parte da alimentação do animal também ficaram para trás. Agora, ele come somente ração especial para obesos.

O caminho a ser percorrido pelo cão ainda é longo, admite a médica veterinária Fernanda Viccini, uma das responsáveis pelo tratamento, e não há previsão de alta. Bolinha ainda precisa perder pelo menos mais 10 kg. “A média esperada era que ele perdesse 400g por semana, mas no caso dele tem sido mais lento, mais ou menos 300g”, disse.

Um dos fatores que pode ter influenciado nisso é a conversão de massa gorda pra massa magra, o que não provoca muitas alterações na balança, explica a veterinária. Mas há o fator idade também. Bolinha tem 12 anos, o que, para os padrões caninos, significa dizer que ele é idoso. Por isso, tem o metabolismo mais lento.

A perda de peso refletiu diretamente tanto na saúde quanto no comportamento do animal. Antes, Bolinha respirava e andava com dificuldade, e não interagia com os outros animais. Agora mais magro, recuperou a agilidade que havia sido perdida para a obesidade, respira melhor, brinca com os outros cães e gosta de fazer passeios dentro das dependências da clínica, algo impensável quando ele chegou ao local. “O Bolinha nem precisa mais dormir na sala com ar-condicionado, onde ficou nos dois primeiros meses. Ele está super bem”, afirmou Fernanda.

Entenda o caso

Bolinha vivia em uma lanchonete e restaurante localizadas em um posto de combustíveis na BR-364, entre as cidades de Tangará da Serra e Campo Novo do Parecis, que ficam a 242 km e 397 km de Cuiabá, respectivamente. Ele foi abandonado pelos donos no local há 12 anos, e acabou sendo ‘adotado’ pelos dono do restaurante. O problema é que, como os clientes davam comida pro cãozinho, ele começou a engordar demais, tornando-se obeso. Além disso, vivia no meio de entulhos e bebia água suja, conforme relataram os responsáveis pelo resgate do animal.

A reportagem sobre o caso foi publicada no G1 no dia 13 de setembro, após sugestão de um internauta por meio da ferramenta colaborativa VC no G1. Quatro dias depois, o animal foi resgatado pela Organização de Proteção Animal de Mato Grosso (OPA-MT) e foi levado a uma clínica veterinária da capital, localizada na Av. Carmindo de Campos, onde segue em tratamento. Os custos deverão ser pagos por meio de doações que poderão ser feitas à OPA-MT.

Fonte: G1


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

DENÚNCIA

MUDANÇAS CLIMÁTICAS

RETROCESSO

RESPONSABILIDADE

SOLIDARIEDADE

MISSÃO

ACADEMIA ESPECISTA

SADISMO

DE OLHO NO PLANETA


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>