Leitoa escapa de fazenda e vive feliz em santuário


(da Redação)

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

Quando se pensa em um porco, provavelmente a maioria das pessoas imagina um animal rolando em uma poça de lama. Talvez, com isso em mente, seja comum se criar uma imagem mental de uma fazenda criadora de suínos como um local alegre aonde é permitido aos animais brincar na lama e correr pelos campos até que chegue o “inevitável” dia em que eles se tornem incrivelmente gordos e tristemente enviados para o “abate”.

Na realidade, uma fazenda de porcos não tem nenhuma semelhança com esse local supostamente imaginado. Em uma fazenda padrão, onde está a vasta maioria dos porcos criados para consumo humano nos Estados Unidos, milhares e milhares de animais são amontoados em condições imundas, onde passam suas curtas vidas em dor e medo. Mães são confinadas em celas tão pequenas que chegam a viver a vida toda sem conseguir enxergar suas próprias caudas. Porcos estão entre os animais mais inteligentes do mundo, e são capazes de aprender truques, responder quando chamados pelo nome e resolver enigmas… mesmo assim, no contexto da pecuária, eles somente são vistos por seu valor de mercado.

No entanto, apesar dessa ser a forma como a parte majoritária do mundo considera os porcos, há muitas pessoas altamente compassivas que pensam diferente. O Edgar’s Mission Farm Sanctuary, um santuário da Austrália, é repleto dessas pessoas bondosas que acreditam na igualdade de valor e inteligência entre animais não humanos e seres humanos. Todo animal que chega para viver neste maravilhoso paraíso seguro é tratado como alguém, não como uma coisa, e exerce o direito de receber um nome e de viver feliz à sua maneira. As informações são do One Green Planet.

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

A fuga corajosa de uma pequena leitoa

Winifred P. Piglet estava claramente insatisfeita com a vida em uma fazenda pecuarista que seu destino delineava. Após ter escapado do local, Winifred foi vista vagando por um subúrbio de Melbourne, na Austrália. Uma vez que as ruas não são um lugar onde é dado o direito a leitões para circular livremente, ela foi apreendida pelo serviço de controle de animais local e levada ao abrigo de cães. Embora aquele não fosse um ambiente propício a um porco, como não havia um local  para onde ela pudesse ser encaminhada, ela foi tratada como qualquer cão em situação de abandono que adentrava o abrigo e tristemente incluída na lista de animais que teriam sua morte induzida. Kyle Behrend, do Edgar’s Mission, disse ao One Green Planet que animais podem passar entre oito e catorze dias na lista antes de serem mortos.

Felizmente, o abrigo ligou para o Edgar’s Mission exatamente a tempo de salvar a pequena Winifred do triste destino, e ela foi levada ao santuário para começar a nova vida para a qual ela tão corajosamente fugiu da fazenda para buscar.

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

A nova vida de Winifred

Quando Winifred chegou à nova casa, no santuário, parece que ela reconheceu que sua vida havia dado uma guinada para melhor. Ela ficou um pouco tímida no início, mas aquela trepidação inicial foi quase imediatamente substituída com seu novo e recém descoberto gosto pela vida.

Behrend explica, “Desde que chegou, a pequena e tímida leitoa não hesitou em envolver a todos ao redor de seu trotar, incluindo a cachorra Ruby”.

“Ela passou um certo período em um abrigo de cães e talvez ela cheirava a cachorros quando veio ao santuário, provocando fascínio em Ruby como se fosse um estranho cão!”, continua Behrend.

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

Pam Ahern, diretora do santuário, também relatou que Ruby ficou encantada com Winnie. “Ela passa a maior parte dos dias sentada do lado de fora do jardim de Winnie, e quando movemos Winnie para seu estábulo noturno, Ruby salta ao nosso lado”.

Conforme se adapta a viver no Edgar’s, Winifred está aprendendo a aproveitar as melhores coisas da vida. Behrend conta que todos os alimentos são os seus favoritos, mas morangos e maçãs tornaram-se a sua principal procura após os lanches.

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

Quando ela não está caçando lanches extras ou passeando com Ruby, Winifred pode ser vista brincando com qualquer objeto que cruze o seu caminho. Segundo a reportagem, o lema de Winifred parece ser: “Se a vida é o que se faz dela, então por que não fazer mesmo as tarefas mais mundanas parecerem divertidas?”.

Assista ao vídeo que mostra Winnie divertindo-se.

How to play with an empty bag 101 from Edgar’s Mission Farm Sanctuary on Vimeo.

Foto: Edgar's Mission
Foto: Edgar’s Mission

Como você pode ajudar a outros porcos como Winnie

Winifred é mais que uma simples leitoa, mas é semelhante a milhões de outros:  ela é um indivíduo e merece ser tratada como tal. Embora eles possuam muitas das características do seu cão ou gato, tais como lealdade e habilidade de amar e se divertir, a maioria das pessoas os veem como “commodities”. A pequena Winifred pode ser pequena, mas é portadora de uma mensagem muito importante: animais criados para consumo humano são criaturas sensíveis e sencientes.

O slogan do Edgar’s Mission é “Se você pode viver feliz e saudável sem lesar aos outros, por que não fazer essa escolha?”. Compartilhe esse post e faça aos outros essa pergunta.

Para saber mais sobre o Edgar’s Mission Farm Sanctuary, visite o site e a página no Facebook.


Gratidão por estar conosco! Você acabou de ler uma matéria em defesa dos animais. São matérias como esta que formam consciência e novas atitudes. O jornalismo profissional e comprometido da ANDA é livre, autônomo, independente, gratuito e acessível a todos. Mas precisamos da contribuição, dos nossos leitores para dar continuidade a este imenso trabalho pelos animais e pelo planeta. DOE AGORA.

Você viu?

RECOMEÇO

CONSCIÊNCIA

DESAMPARO

COVARDIA

APOIO COLETIVO

CONSCIENTIZAÇÃO

MISSÃO

SÃO SEBASTIÃO (SP)

DEMANDA CRESCENTE


LEIA EM PRIMEIRA MÃO AS NOTÍCIAS MAIS ANIMAIS DO MUNDO

>