Final feliz

Raju, o elefante que chorou ao ser libertado está finalmente livre para sempre

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

Não precisa mais chorar, Raju. O elefante indiano cujas lágrimas conquistou os corações de milhões de pessoas ao redor do mundo está finalmente livre de seu tutor-torturador. Mantido em correntes e sofrendo maus-tratos por mais de 50 anos, o animal ganhou a batalha legal contra seus antigos tutores que tentaram tê-lo de volta após a sua libertação, alegando haver a sua “legítima propriedade”.

Entenda o caso:

O majestoso animal era “forçado a pedir moedas” para transeuntes e turistas, sobrevivendo apenas comendo plástico e papel. Nem carinho nem comida foram dados para o elefante durante anos e mais anos, o que levou uma equipe formada por veterinários, especialistas em vida selvagem e policiais, em julho, a libertarem Raju do sofrimento.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

Quando Raju foi libertado das correntes, escorriam pus de suas feridas, o animal havia abscessos enormes em suas patas, tinha feridas por todo o corpo e estava morrendo de fome. O ex-tutor do animal costumava também arrancar seus pelos para vendê-los como amuleto da sorte.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação

O elefante foi transferido para um novo lar, um belo retiro onde podia andar livre, comer bem, receber tratamento médico, mergulhar em uma piscina e socializar com outros elefantes – todas as coisas que lhe foram negadas durante a maior parte de sua vida.

Mas seus tutores decidiram recorrer à justiça pela sua guarda. Os advogados da Wildlife SOS argumentaram que um elefante não pode ser de propriedade de uma pessoa sob a lei indiana, pois são todos protegidos pelo governo. Eles argumentaram com sucesso, que somente um certificado de tutela poderia provar a guarda sobre o animal, e os antigos tutores não possuíam certificado.

Sendo assim, o caso foi encerrado.

Raju não precisa nunca mais chorar.

Fonte: Green Me

1 COMENTÁRIO

  1. Quer dizer que se o desgraçado tivesse um “certificado de tutela” ainda poderia ficar com o animal, depois de todas as crueldades comprovadas. Que país é esse que permite uma barbaridade dessas. Índia evolua, respeite a “Declaração Universal dos Direitos dos Animais” da UNESCO.

  2. “A justiça de Deus tarda mas não falha” mas a humana geralmente é injusta e falha. A vida é bela, Raju, você já está vendo como ela é sem lágrimas.

  3. A justiça tarda e falha 50 bilhões de vezes por ano para cada animal morto desnecessariamente para alimentar os humanos. A justiça vem tardando e falhando há muito tempo. Esse aí teve sorte, mas sua sorte é como num grão de areia na praia.

    • Então, Leoh, veganos já estão fazendo justiça com as próprias mãos preparando, com elas seu cardápio livre de crueldade mas não conseguem estar ao mesmo tempo em toda a parte, isso é mais difícil.

  4. Gostaria de saber a razão desta gente meter sempre a porcaria da religião em tudo que aparece..ele foi libertado devido a acção dos seres humanos!da realidade!e não de seres imaginários que destroem e corrompem a sociedade.
    fico feliz pela salvação deste elefante,felizmente vai ter um final de vida bem melhor do que teve durante anos,parabéns a quem o salvou ”
    O mundo e um lugar perigoso para se viver,nao por causa daqueles que fazem o mal,mAs sim devido aqueles que observam e deixam o mal acontecer”Albert einstein

    • É, colega, não existe “porcaria da religião” não, existe religiosidade sabe, aquela que a gente aprende de berço a respeitar e a incorporar na própria identidade mesmo antes de aprender a andar ou a falar, irremovível como tatuagem na pele, mergulhados em Deus que estamos como peixes no mar ou pássaros no céu, imprescindível como ar que se respira, isso pode se chamar Deus para quem O conhece como Amigo e Pai. Azar de quem prefere o contrário, uma roubada.

  5. Parabéns aquem o resgatou e sim é verdade, é um em milhoes” Tb não percebo porc que raio o nome de Deus é aqui chamado.. o animal sofreu 50 anos !! se esse deus o quisesse salvar já o tinha feito ou não ???!!!

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui