preconceito

Comércio de couro de cães levanta discussão sobre couro de bovinos

(da Redação)

Neste mês, a ONG PETA da Ásia divulgou imagens secretas de cães sendo espancados com bastões na China e tendo as suas peles arrancadas para a produção de luvas, cintos e outros acessórios.

Relatos da mídia apontam que pessoas de todo o mundo ficaram indignadas com a violência contra os cães. Mas, conforme lembra a reportagem do site Their Turn, o comércio de couro de cães, que já é uma realidade, não é mais abusivo que o de couro de vacas.

Luvas de couro de cão são vendidas como "couro" nos Estados Unidos. Foto: PETA
Luvas de couro de cão são vendidas como “couro” nos Estados Unidos. Foto: PETA

Durante as suas vidas de escravidão em fazendas pecuaristas e estabelecimentos industriais, as vacas são marcadas, castradas e têm seus chifres arrancados sem analgésicos. Não deveríamos ficar igualmente chocados com estes abusos? E, se ficássemos, como justificar que compremos artigos de couro de bovinos?

Foto: Their Turn
Foto: Their Turn

Algumas pessoas argumentam que os cães merecem mais compaixão por serem animais de companhia. Mesmo se isso pudesse ser usado como justificativa, seria inválido, pois na China, cães são considerados animais de consumo alimentar. Suas peles são mais uma fonte de lucro, assim como o couro de bovinos nos países ocidentais.

A pele pertence ao animal que nasceu com ela, e não às pessoas que querem usá-las para fabricar objetos. Sugerir que uma espécie animal merece manter a sua pele mais que outra é arbitrário e preconceituoso.

Com todas as alternativas que não têm origem animal disponíveis atualmente, não há justificativa para o roubo da pele de nenhum ser.

1 COMENTÁRIO

  1. Não levou discussão ao couro bovino , como li toda reportagem em inglês da PETA, simplesmente divulgou o horror da matança de cães e gatos na China. Então por isso até se pode levantar discussão sobre o couro de vaca, mas o divulgação da PETA não foi esta.

  2. O problema maior que vejo na divulgação de maus tratos é que só aparece a China e países asiáticos. Onde estão os indignados com os caçadores de lobos e raposas dos Estados Unidos? E os caçadores de ursos no Canadá? Não estou defendendo os asiáticos, mas essas “investigações” deveriam ser imparciais. Fica parecendo reportagem da Globo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui