resgate

Aparecimento de capivara chama a atenção em bairro residencial de Presidente Prudente (SP)

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

Um filhote de capivara foi encontrado por um pedreiro na manhã desta segunda-feira (29), em um terreno localizado na Rua José Alfaro, no Parque São Lucas, em Presidente Prudente, ao lado da obra em que ele trabalha.

Segundo pedreiro Genival Feliciano da Silva, de 51 anos, ainda não se sabe desde quando o animal está no local. “Eu vim trabalhar hoje [29] de manhã normalmente e, por volta das 9h, subi no telhado para terminar um serviço, quando vi a capivara escondida entre o mato no fundo do terreno. Levei um susto”, disse.

Silva ainda informou ao iFronteira que foi até a casa do presidente da Associação de Moradores do Parque São Matheus, que fica próximo ao terreno, para avisá-lo. “Fui avisar o Paulinho para ligar para alguém vir buscar a capivara. A gente fica com dó. A bichinha ficar num sol quente desse, sem comer e sem tomar água”, destacou.

FAÇA PARTE DO #DiaDeDoarAgora EM 5 DE MAIO

O aposentado Paulo Correa, de 59 anos, presidente da entidade, entrou em contato com o Corpo de Bombeiros, mas foi informado de que a corporação não poderia fazer nada a respeito.

“O Corpo de Bombeiros pediu para que eu entrasse em contato com a Polícia Ambiental. Liguei para eles por volta das 10h e me disseram que iriam vir buscá-la ainda pela manhã, mas até agora, às 14h, ainda não veio ninguém. Estamos esperando. A gente fica preocupado de ela vir para a rua e causar um acidente ou um carro ou uma moto acabar atropelando-a”, contou Correa ao iFronteira.

Conforme o presidente da Associação de Moradores, isso nunca tinha acontecido. “É a primeira vez que isso acontece aqui. Um monte de gente aqui do bairro já veio ver e tirar fotos. Eu mesmo desconhecia que era uma capivara, achei que fosse um ‘porcão espinho’”, comentou o aposentado, aos risos.

Corpo de Bombeiros

Segundo o Corpo de Bombeiros, em se tratando de ocorrências com animais, a corporação é acionada apenas para dar apoio durante a operação. “Depende da situação e do caso. Se o animal oferece risco à população ou se está em situação de risco, nós somos chamados para darmos um apoio”, frisou.

A orientação do Corpo de Bombeiros é para que a população não chegue perto do animal e não tente capturá-lo. “O procedimento correto é entrar em contato com o Centro de Controle de Zoonoses ou com a Polícia Ambiental e deixar que os órgãos competentes cuidem do animal. Eles possuem dardos tranquilizantes, redes adequadas e outros equipamentos necessários para a captura do animal”, ressaltou a corporação.

Polícia Ambiental

De acordo com a Polícia Ambiental, o patrulhamento já está a caminho para fazer o resgate do animal.

“Geralmente em casos de animais silvestres é a Polícia Ambiental que busca o animal. Se estiver machucado, o animal é encaminhado para uma Associação Protetora dos Animais Silvestres, em Assis [SP], para ser medicado. Se o animal não precisa de cuidados especiais, ele é encaminhado para ONGs [Organizações Não-governamentais], como o Parque Estadual Rio do Peixe, em Santo Anastácio, ou a Cidade da Criança, em Presidente Prudente”, explicou a polícia, ao iFronteira, na tarde desta segunda-feira (29).

(Foto: reprodução)
(Foto: reprodução)

Fonte: iFronteira

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui